Xiaomi Mi Band 4: saiba tudo sobre a pulseira inteligente

A Mi Band é um exemplo de aparelho resultante dos avanços da tecnologia wearable, os dispositivos vestíveis. A pulseira inteligente desenvolvida pela chinesa Xiaomi é uma das mais populares tanto na China quanto no resto do mundo.

Sua quarta versão, a Xiaomi Mi Band 4, foi lançada em junho de 2019. Com preços convidativos e ideal para os segmentos esportivo e fitness, o gadget atingiu 1 milhão de vendas já nos oito primeiros dias no mercado.

No Brasil a Mi Band 4 é oficialmente comercializada desde outubro pela DL Eletrônicos, parceira da Xiaomi por aqui. O preço na loja física ou virtual é de R$ 335, mas os usuários já têm importado a pulseira desde o seu lançamento global por valores que chegam quase a R$ 100. 

Neste artigo nós abordamos as principais características e diferenças Mi Band 4 em relação ao modelo anterior e você decide se o investimento compensa. Confira:

Versão chinesa x versão global

A smartband da Xiaomi conta com duas versões do mesmo dispositivo: uma voltada para o próprio mercado chinês e outra para o mercado global. Existem algumas diferenças entre as duas.

A versão chinesa conta com uma conexão Near Field Communication – NFC (baseada em aproximação) que possui suporte para realização de pagamentos, e também uma assistente interna, a Xiaomi Ai. O modelo comercializado globalmente não tem nenhuma das duas funções.

Além disso, a interface da pulseira na sua versão chinesa vem definida de fábrica em mandarim, mas pode ser alterada para outros idiomas após a conexão com o celular. Nenhum dos dois modelos ainda possuem um suporte de interface 100% em português, mas o idioma pode ser configurado no Mi Fit, o app de gerenciamento do dispositivo que vai instalado no smartphone.

Em resumo, as duas versões são muito similares. O desempenho e qualidade da Xiaomi Mi Band 4 pode ser melhor analisado em comparação com o seu modelo antecessor, o Mi Band 3. Confira abaixo algumas características da última versão da pulseira inteligente.

Características da Xiaomi Mi Band 4

A Mi Band 4 é uma pulseira inteligente desenvolvida para estar no mercado a um preço acessível em comparação com outros acessórios. Por esse motivo, ela não faz frente a relógios inteligentes, por exemplo, que em geral agregam muito mais funções em seus sistemas.

Ainda assim, a pulseira da Xiaomi é uma ótima opção principalmente para atletas e praticantes de atividades físicas. O modelo Mi Band 4 mantém uma série de funções já conhecidas do Mi Band 3, como o modo esteira, cronômetro, medidor de passos, monitoramento de batimentos cardíacos e medidor de qualidade de sono. Também possui, claro, acesso às notificações do smartphone e outras informações, como situação do clima.

O diferencial para as funções apresentadas pelo modelo anterior está nos novos modos esportivos: caminhada, ciclismo, corrida externa e até natação.

No modo natação, a pressão suportada pela pulseira permite mergulhos de cerca de 50 metros de profundidade. O módulo “status” também é novo e reúne informações como dados do medidor de passos e calorias queimadas. O Mi Band 4 ainda não possui GPS, então no módulo corrida externa, por exemplo, é necessário o apoio do smartphone para cálculo de distância.

A tela é o principal upgrade

Entre a Xiaomi Mi Band 4 e a Mi 3 não existem grandes saltos de tecnologia ou funções muito inovadoras. A quarta versão da pulseira é um dispositivo semelhante ao anterior e que passou por ajustes. A principal melhoria, com certeza, está na tela AMOLED colorida.

O visor de 0,95 polegadas, resolução 120×240 e display em cores é muito superior à tela monocromática da Mi Band 3. A sensibilidade ao toque do novo modelo também é muito mais precisa, garantindo mais autonomia em relação ao uso do smartphone.

Além de exibir notificações muito mais detalhadas, na Mi Band 4 já é possível pequenas configurações no próprio aparelho como ativar e desativar os alarmes definidos no celular e controle de músicas.

A apresentação de informações climáticas e o uso da pulseira em dias muito claros são outros dois exemplos do conforto trazido pela tela colorida.

Além disso, a nova versão da smartband da Xiaomi possui várias alternativas de watchfaces, que são as telas customizáveis para o display principal. São três alternativas nativas e mais 77 que podem ser definidas pelo aplicativo Mi Fit. Fora a possibilidade de upload de watchfaces personalizados que são encontrados nas lojas de aplicativos.

Mi Fit

É em conjunto com o Mi Fit que a smartband da Xiaomi fica realmente útil e interessante. O aplicativo está disponível para download e instalação tanto na Play Store quanto na App Store.

A Mi Band foi desenvolvida para ser usada o dia inteiro pelo usuário, inclusive durante a noite. Dessa forma ela consegue medir precisamente desde a atividade física realizada até a qualidade do sono.

O nível de detalhamento está em dados como, por exemplo, a quantidade de passos dados durante o dia e os momentos específicos de sono profundo e sono leve.

A compilação desses dados você encontra no Mi Fit. Pelo software é possível acompanhar um relatório completo do que foi o seu dia. Dormiu menos que o necessário? Se movimentou pouco? Sua frequência cardíaca esteve alterada em algum momento? A sua pulseira inteligente com certeza sabe e te avisa. 

Ficha técnica (versão global)

  • Tela – AMOLED, colorida, sensível ao toque e com retroiluminação, 120 x 240 pixels, brilho de até 400 nits e vidro temperado 2.5D.
  • Conexão – Bluetooth 5.0, sem Near Field Communication (NFC)
  • Compatibilidade – iOS e Android
  • Material da pulseira – Borracha
  • Bateria – 110 mAh (20 dias de duração)
  • Resistência à água – À prova até 50m de profundidade
  • Sensores – acelerômetro (3 eixos), giroscópio (3 eixos), proximidade (capacitivo), frequência cardíaca (óptico)
  • Peso – 21g

O sucesso da Mi Band e o retorno da Xiaomi ao Brasil

A versão global da Mi Band 4 foi anunciada, primeiramente, na Espanha, Itália e França. Após 8 dias do lançamento, 1 milhão de unidades já haviam sido comercializadas. A informação foi dada pelo porta-voz e diretor de gerenciamento de produtos da Xiaomi, Donovan Sung.

“Compartilhando uma ótima notícia com nossos fãs globais: Nosso volume global de envio do #MiSmartBand4 ultrapassou 1 milhão de unidades em apenas 8 dias. Este é o mais rápido que atingimos este marco na história da #MiBand. Obrigado a todos os nossos Mi fãs!”, escreveu o executivo em sua conta do Twitter.

Na tendência de outras empresas chinesas, a fabricante de celulares segue com um plano de ampla expansão para o mercado internacional. No Brasil a Xiaomi chegou pela primeira vez em 2015, numa tentativa que não deu muito certo e acabou levando a empresa a deixar o país ainda naquele ano.

Em 2019, a Xiaomi retornou com modelos de smartphone e outros produtos, como as pulseiras inteligentes. As vendas são feitas na loja online, em redes de varejo autorizadas e na sua primeira loja física no Brasil – localizada em São Paulo, no Shopping Ibirapuera.

Os preços convidativos, principalmente dos smartphones intermediários, conquistou uma grande quantidade de fãs fiéis no Brasil. A parceria com a DL Eletrônicos garantiu também a assistência técnica aos produtos da empresa por aqui, estimulando também os clientes mais precavidos.

Segundo dados do segundo trimestre de 2019 levantados pela Counterpoint Research, no mercado global de smartphones, por exemplo, a Xiaomi é a quarta colocada com 9% (32,3 mi unidades). A chinesa ainda perde para a coreana Samsung (21,3%), a vizinha Huawei (15,8%) e americana Apple (10,1%).

Está interessado em adquirir um smartwatch? Saiba tudo sobre este tipo de dispositivo aqui e confira também sobre um dos modelos mais avançados do mercado, o Apple Watch.

Aqui no Compara Plano você encontra artigos diários sobre tecnologia e internet. Fique de olho!