Assuntos mais comentados do Twitter em setembro

Você é daqueles que adoram estar por dentro dos papos quentinhos que rodam a boca do povo? Daquilo que as boas línguas virtuais andam espalhando aos quatro ventos? Se sim, provavelmente acessa o Twitter com frequência, para saber o que anda figurando nos trending topics. Para te ajudar nessa sua leitura, nós do Compara Plano vamos fazer um resumo dos assuntos mais comentados do Twitter em setembro, pra que você não fique de fora das atualidades do momento!

Trending Topics em setembro

Os trending topics (TTs) surgem e desaparecem just like that!, impulsionados pela anuência coletiva que acontece de uma hora pra outra por uma bandeira ou um tema.

Subir para os primeiros postos da lista de assuntos mais comentados do Twitter pode acontecer com qualquer hashtag, a depender de quantas pessoas concordam com seu posicionamento e decidem levá-lo adiante.

A virtuosidade da mudança nesse ranking é até assustadora, sendo que os “movimentos” na rede social podem ‘dormir’ com centenas de ocorrências e acordar às milhares, quiçá aos milhões.

Essa flutuação mostra que, na era digital, o Brasil tem uma população digitalmente ativa, além de engajada por uma expressão pública de adesão às inclinações que lhe pareça digna de figurar nas timelines.

Veja agora, cinco dos assuntos mais comentados do Twitter em setembro.

Leia também: E-book como economizar: veja aplicativos e dicas para reduzir as despesas diárias

#VoltaPT

A #VoltaPT fez sucesso no início do mês.  Surgida a partir de um pronunciamento do próprio presidente Jair Bolsonaro, uma fala sua parece ter impulsionado as manifestações políticas de quem espera por um governo de esquerda retomando a liderança do país.

Tudo começou quando o atual presidente se dirigiu a seus apoiadores sobre a indicação de Augusto Aras para Procurador-Geral da República (PGR). Segundo ele, se essa indicação não fosse apoiada por seus militantes, ele cairia “mais cedo e mais cedo volta(ria) o PT”. A deixa serviu de incentivo para os insatisfeitos com seu governo inflamarem o Twitter.

A oposição, logo em seguida, lançou a #VoltaPT, sobretudo incentivada pelas contas de petistas na rede social. Porém, ela não parece ter se limitado à atuação de partidários.

No mesmo dia do pronunciamento (6), a hashtag já havia chegado à sexta posição entre os assuntos mais comentados do Twitter mundial. A relevância do assunto entre políticos fez com que diversas lideranças se manifestassem sobre o assunto, sobretudo do Partido dos Trabalhadores.

O vice-líder do partido na Câmara, Nilto Tatto (PT-SP), comentou que não havia surpresa com a popularidade da hashtag, sobretudo porque, em entrevista a Mino Carta, colunista de Carta Capital, Lula havia, um dia antes, (aparentemente) mostrado razões subjacentes para que ela subisse aos assuntos mais comentados do Twitter em setembro.

Também vice-líder na Câmara, Maria do Rosário (PT-RS) comentou que “as pessoas sabem quem fez a diferença”.

Com discurso um pouco mais inflamado, Waldenor Pereira (PT-BA) citou a “injustiça contra Lula”, e disse que “o Brasil tem saudade de quando era feliz”, porque “não dá mais pra aguentar tanto descaso e tanta maldade com o povo”.

#PaisComFelipeNeto

Entre os assuntos mais comentados do Twitter em setembro, temos, também nesse caso, outro exemplo de reviravolta acontecida a partir de um discurso que ‘não caiu muito bem’ nas graças do povo.

A trama começou quando Marcelo Crivella (PRB) censurou (esse parece ser o termo mais adequado) uma HQ dos Vingadores na Bienal do Livro do Rio de Janeiro. A razão: o livro “trazia conteúdo sexual para menores”, e a Prefeitura visava a “proteger as crianças”. O ‘conteúdo sexual’ que precisava ser barrado do acesso infantil se tratava de uma imagem de um beijo entre dois personagens do sexo masculino.

Descontente com a censura à arte, o youtuber Felipe Neto, que sempre fez questão de se manifestar politicamente contra aquilo que considera repudiável, comprou e distribuiu gratuitamente 15 mil livros com conteúdo LGBT no próprio evento.

Esse fato foi suficiente para que os adeptos da censura se voltassem contra o influencer, dando vida a uma primeira hashtag, nominada #PaisContraFelipeNeto. Com o mesmo intuito, internautas também criaram a #FelipeNetoLixo. Cabe dizer, então, que ambas as hashtags alcançaram ponto no TTs.

Contudo, uma grande parcela da população digital se sentiu comovida com Felipe Neto, transformando a #PaisContraFelipeNeto em #PaisComFelipeNeto. Elogiando sua atitude, e consequentemente protestando contra a censura de Crivella e contra o preconceito de seu ato, a hashtag alcançou o trending topics, se tornando um dos assuntos mais comentados no Twitter em setembro.

#7deSetembro

Um dos assuntos mais comentados no Twitter em setembro foram as saudações ao Dia da Independência. E, como nem tudo são flores, já dizia o poeta, nem todas as lembranças foram em prol daquilo que há de bom nessa data.

O Brasil comemorou, no último 7 de setembro, 197 anos de país como pátria independente. Nesse dia, já por volta de 16h, a #7deSetembro ocupava a quinta posição dos assuntos mais comentados na rede social.

Entre os muitos usos da hashtag, destacaram-se algumas lembranças de nações amigas, as quais parabenizavam o Brasil pelo seu ‘aniversário’.

A Ucrânia usou sua conta oficial para comentar: “Nossos mais calorosos parabéns e felicidades para o #Brasil, que comemora seu 197º Dia da Independência! Saudações da Ucrânia”, em tuíte respondido por Bolsonaro.

A conta oficial de Israel postou a seguinte saudação, acompanhada da bandeira do Brasil: “Feliz Dia da Independência aos amigos brasileiros”. O governo da Polônia foi mais objetivo, parabenizando-nos com a saudação “Feliz Dia da Independência, Brazil”.

Ministros brasileiros fizeram questão de lembrar a data, também no Twitter. Sérgio Moro, da Justiça, salientou “as gerações anteriores que construíram esse País e a responsabilidade que recai sobre todos nós”.

O ex-astronauta Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, ressaltou o “orgulho do nosso Brasil”. Damares Alves, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, tuitou sobre o “Orgulho de ser verde e amarelo”.

Entre as críticas, destaca-se a de João Amoedo (Novo), candidato à presidência na última eleição, que disse: “há 197 anos foi declarada a nossa independência de Portugal, mas precisamos continuar trabalhando para nos libertar da postura paternalista e intervencionista do Estado nas nossas vidas”.

#BolsonaroNaOnu

A Assembleia Geral das Nações Unidas tem, tradicionalmente, o discurso do presidente brasileiro na sua abertura. Dessa vez, coube a Bolsonaro a oratória inicial do evento, e ela deu o que falar!

A repercussão foi tamanha que, nos trending topics, a #BolsonaroNaOnu ocupou nada menos do que a primeira colocação do Twitter mundial.

Entre os alinhados com o governo, figuras de expressão como o ministro Sérgio Moro avaliaram o discurso como “assertivo”, ressaltando pontos essenciais como “soberania, liberdade, democracia”. Além dele, Onyx Lorenzoni também não perdeu a oportunidade de se manifestar, asseverando o discurso, como “altivo, corajoso, verdadeiro e soberano”.

Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, se dedicou a retuitar uma postagem do chanceler cubano Bruno Rodríguez, na qual rejeitou as falas de Bolsonaro sobre Cuba. Nela, comentou que:  “Se o chanceler cubano está reclamando é porque foi bom, é nosso comunistômetro”.

A partir dos que não adotaram tom tão aprazível, e foram muitos, surgiram também entre os TTs as hashtags #BolsonaroEnvergonhaOBrasil e #BolsonaroVergonhaMundial.

João Doria, governador de São Paulo, avaliou a fala como “inadequada e inoportuna”, além de mencionar a “falta de bom senso” que nela conteve.

Marina Silva também foi direta: “O discurso de Bolsonaro, recheado de meias verdades e negação de verdades inteiras, [..] tem um potencial enorme de produzir um efeito ainda mais nefasto para a imagem do Brasil no exterior: uma vergonha globalizada”.

Alessandro Molon, líder da oposição à Câmara, ressaltou: “Um discurso vazio de verdades, mas cheio de agressividade e cegueira ideológica”. Além disso, afirmou que “O mundo continua vendo a falta de preparo para governar um país como o Brasil”.

#PhilipeLemosNoJN

Para fechar a lista dos assuntos mais comentados no Twitter em setembro, temos a hashtag #PhilipeLemosNoJN.

Se você não sabe, a Rede Globo resolveu comemorar os 50 anos de Jornal Nacional com um rodízio. Por isso, apresentadores de todos os Estados mais o Distrito Federal ocuparam ou ainda vão ocupar (pois acaba em novembro) a bancada do noticiário.

O Espírito Santo foi representado por Philipe Lemos, da afiliada da TV Globo naquele Estado, e parece ter agradado a muita gente. Somente durante a transmissão, o âncora angariou mais de 10 mil seguidores para sua conta do Instagram.

Os elogios que Philipe Lemos recebeu foram variados. Uma internauta brincou que o jornalista virou “crush de metade da audiência do Jornal Nacional”, enquanto outro ‘suspirou’ um “Que homem!”. Um terceiro o enalteceu com “que postura, que charme”. Nada mal para uma estreia em rede nacional no principal telejornal do país, não?

Se você gostou do nosso conteúdo e quer seguir sabendo tudo sobre tecnologia, planos e pacotes, dicas e curiosidades, acompanhe o Compara Plano. Estamos muito felizes em te ver por aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat