Rumores indicam iPhone 12 com design semelhante ao do iPhone 4

Nem bem chegaram ao mercado as versões do iPhone 11, e as versões do iPhone 12 já estão dando o que falar. Isso, pois andam sendo apresentadas algumas simulações em 3D e algumas especificações sobre as funcionalidades com que o modelo poderá contar.

Algumas delas são bem interessantes, como um possível conjunto de quatro câmeras traseiras com um sensor ToF de mapeamento 3D, suporte à rede 5G e leitor biométrico sob o display.

Porém, o que realmente ganha destaque é o design. Segundo o que anda sendo dito, a remodelagem da linha o deixaria com ares de iPhone 4, o qual, caso você não lembre, era menor, bem menos arredondado do que as versões mais recentes e frisado nas laterais com uma faixa metálica.

Se de fato as previsões se confirmarem, seria a maior remodelação recente da linha de celulares da Apple, que vinha apresentando uma tendência a aparelhos maiores e cada vez menos quadrados. É nostálgico? Parece que sim!

Leia mais: Veja soluções para deixar sua casa inteligente!

Rumores de iPhone 12 com cara de iPhone 4

O iPhone 11 deve ser substituído em 2020, e será uma substituição em alto estilo.

Desde o iPhone 6, o aparelho-conceito da Apple adota linhas curvas e cantos arredondados. Seguindo uma tendência difundida entre os modelos de telefones atuais, talvez fosse difícil esperar o que está (presumidamente) por vir.

Abaixo, é possível ver o que a página PhoneArena imagina que será o iPhone 12, que lembra a volta do iPhone 4 com bordas metálicas e uma atitude mais robusta. O que chama atenção é, também, o conjunto de quatro lentes traseiras, que conteria numa delas a tecnologia ToF 3D.

iPhone 11 pode ganhar sucessor com design similar ao do iPhone 4 — Foto: Reprodução/Phone Arena

Esperado para setembro de 2020, nenhum dos rumores acabou sendo confirmado pela Apple, que preferiu manter o silêncio sobre as especulações.

O visual mais ‘quadrado’, contudo, já andou aparecendo em soluções recentes da marca, veja-se o exemplo do iPad Pro 2018, com laterais planas, apesar de fino.

Além da remodelagem da carcaça, as imagens do site divulgaram uma possível remodelação também do display. O notch, aquele espacinho superior no qual ficam alojados a câmera e os sensores de Face ID, poderia sofrer uma redução, o que permitiria uma tela maior.

Ainda assim, o display se encaminharia para uma direção oposta à das atuais propostas do segmento de celulares, com soluções cada vez maiores.

O menor da família 11, o Pro, conta com 5,8 polegadas, enquanto o iPhone 12 contaria com 5,4 polegadas. Então, uma redução considerável.

Leia mais: Conheça o iPad Air 2019 e veja se é pra você!

iPhone 12 poderá trazer notch menor e câmera quádrupla — Foto: Reprodução/Phone Arena

Conjunto de câmeras

A traseira do iPhone 12 contaria com um conjunto quádruplo de lentes fotográficas, o que o deixaria com uma qualidade presumivelmente incrível. E parte desse incremento seria resultado da tecnologia ToF.

Essa é empregada para mapeamento de ambientes, o que melhora a qualidade de aplicativos com realidade aumentada.

A exemplo da tecnologia, citamos a parceria entre Apple e Valve, uma das gigantes do mercado de games. Outros rumores dizem que dessa junção vai resultar um óculos de realidade aumentada com lentes de tecnologia 8K. Nada mal, não?

 

Uma visão mais futurista do iPhone 12

Ben Geskin divulgou uma possível alternativa à imagem apresentada acima, em que o notch desaparece completamente, um desejo que pode tornar-se realidade em breve.

Por conta da redução de tamanho dos sensores, eles ocupariam uma faixa minúscula acima do display, o que renderia ainda mais polegadas à tela do iPhone 12.

 

Se assim for, seria o primeiro modelo da Apple a conseguir buscar um notch-free, porém há quem diga que essa disposição só chegará em 2021.

 

O que mais haveria?

Entre os muitos rumores e imagens que tentam antever como será o iPhone 12, algumas funcionalidades estão bem próximas daquilo que realmente deve se concretizar.

A primeira delas é a rede 5G. Com modelos concorrentes do iPhone 11 já entregando a conectividade à rede 5G em seus aparelhos, a Apple não deve ficar pra trás e, provavelmente, a próxima linha de celulares contará com o suporte. Isso, pois haverá um processador de 5 nanômetros compatível.

Depois, é bastante possível que todos os modelos contem com tela OLED e, pelo menos alguns deles, entreguem a tela de 120GHz.

Outra funcionalidade bem interessante, a qual agrada a usuários que vão além da linha iPhone, é o leitor biométrico sob o display. Aliado à tecnologia de reconhecimento facial do Face ID, o modelo seria, de fato, um dos smartphones com maior entrega de requisitos de segurança.

 

Previsão de lançamento iPhone 12

Como já é de praxe, prevemos uma janela cronológica de 1 ano entre um lançamento e outro. E isso a Apple geralmente não costuma relativizar.

Então, levando em consideração que o iPhone 11 foi lançado em setembro de 2019, o normal seria aguardar o lançamento do iPhone 12 para setembro de 2020 – ou alguma data também no outono americano.

Contudo, existe um “porém”! Como dissemos acima, outras fabricantes de smartphones se adiantaram com relação à conectividade e despacharam para o mercado seus modelos com conexão à rede 5G.

São exemplos recentes, que figuram nas faixas mais elevadas do segmento, mas eles estão aí!

Ainda que fosse uma jogada incomum para a Apple – antecipar um lançamento -, nada impede a marca de batalhar nessa nova frente, buscando seu espaço no mercado o quanto antes.

 

Preço do iPhone 12

Levando em consideração os valores de lançamento no mercado americano do iPhone 11, que começa em US$699 na versão de entrada e alcança US$999 e US$1.099 nas versões 11 Pro e 11 Pro Max, respectivamente, os valores devem ficar consideravelmente acima desses.

Isso porque o iPhone 12 contará com suporte à rede 5G, e essa funcionalidade custa caro. Como exemplo, citamos o Galaxy S10, que na versão Plus custava – à época de lançamento – US$999, enquanto na S10 5G custava US$1.299. Ou seja, uma diferença de US$300.

Sendo assim, as versões de entrada do iPhone 12 vão, possivelmente, figurar em torno de US$1.000 na versão de entrada e em torno de US$1.500 nas versões top de linha pelo menos.

Então, se você quiser contar com um iPhone 12 no bolso, é bom começar a guardar dinheiro!

Leia mais: Saiba tudo sobre o iOS 13, recém-lançado pela Apple.

Se você gostou do nosso conteúdo e adora tecnologia, então acompanhe o Compara Plano. Estamos muito satisfeitos em te ver por aqui!

 

 

 

Os melhores smartwatches de 2019: baixe o nosso e-book grátis

smartwatches

Visualizadores de mensagens, bússola, controladores dos batimentos cardíacos, contadores de passos, indicadores da previsão do tempo e, de quebra, até relógios. Os smartwatches têm tantas funções que é difícil acreditar que tudo isso é possível por meio de um pequeno dispositivo acoplado em uma pulseira. Baixe agora o nosso e-book e veja quais são os melhores smartwatches de 2019.

Como escolher o modelo ideal?

Os smartwatches têm se tornado o sonho de consumo dos brasileiros mais aficionados por tecnologia. Hoje são tantos modelos e marcas no mercado e com tanta diferença de design, funcionalidades e preço que na hora de comprar fica aquela dúvida sobre qual, afinal, é o mais indicado. 

Para te ajudar nesta tarefa, separamos em um e- book os melhores smartwatches de 2019. Nossa lista tem como base os dispositivos melhor ranqueados e mais vendidos no site da Amazon:

  • Xiaomi Mi Band 4
  • Xiaomi Amazfit Bip
  • Huawei Honor Band 4
  • Amazfit GTR
  • Apple Watch Series 4

Baixe agora mesmo o nosso material e veja os diferenciais de cada aparelho, a média de preço e comentários de pessoas que os adquiriram.

Vale destacar que, além das características, funcionalidades e design, na hora de escolher qual smartwatch comprar é fundamental pesquisar quais modelos são compatíveis com o sistema do seu smartphone, afinal, para fazer o melhor uso do seu dispositivo você precisará que ambos estejam sincronizados.

Funções dos smartwatches

Muito mais do que relógios, os smartwatches carregam este nome mais por sua inteligência do que pela função de mostrar as horas. Veja a seguir no que os melhores smartwatches podem auxiliar:

Saúde

Medidores de distância, medidores de batimentos cardíacos, contadores de passos, uma das principais funções dos relógios inteligentes é ajudar no monitoramento da saúde e no desempenho nas atividades físicas. Alguns funcionam até 50 metros debaixo d´água.

De olho nas mensagens

Ao sincronizar o dispositivo com o seu smartwatch é possível receber mensagens, Whatsapp, acessar o Facebook, realizar ligações, entre outras funções do seu celular. Monitore tudo pode apenas alguns toque no seu pulso.

Aventura

Para quem gosta de aventura, há modelos de smartwatches com sensor geomagnético (bússola) e sensor de pressão (altura) que auxiliam em trilhas e escaladas.

Design para todos os gostos 

Há designs para todos os gostos: aqueles que preferem modelos similares aos de relógios tradicionais e para quem prefere um visual futurista.

BAIXE GRÁTIS o nosso e-book e escolha logo o seu. Confira!

O que é e como funciona o Uber Pet

Uber Pet

O mercado de animais de estimação vem crescendo muito nos últimos anos. Especialmente aqui no Brasil, levamos muito a sério o fato de que os animaizinhos fazem parte que família. E, mais que isso, gastamos muito mais dinheiro com eles do que há 5 ou 10 anos. Por isso, começou a existir o Uber Pet.

Saiba também tudo sobre o Uber.

Você já deve ter ouvido falar desse serviço de transporte. Vamos falar tudo sobre ele: quando ele começou no Brasil, por que encerrou, se vai voltar. E, ainda, saber se há outros transportes para pets. Conheça!

Leia também: Os melhores aplicativos para cuidar de pets

Uber Pet

Em 2015, a empresa lançou o Uber Pet, um serviço para você transportar seus animaizinhos de estimação. Funcionava apenas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, e o carro já vinha como uma capa protegendo o banco traseiro.

Porém, essa modalidade durou pouco tempo. Já que o serviço de carros por aplicativo é pet friendly, ou seja, os motoristas podem aceitar animais. Além do Brasil,  o Uber Pet esteve presente no México e em alguns países da Ásia.

Hoje em dia, quem quiser transportar seu bichinho de estimação deve entrar em contato com o motorista, avisando-o. E, por questões de segurança, seu pet deve estar numa caixa de transporte ou preso na coleira.

Uber Pet de volta?

Mas, em outubro de 2019, foi anunciado o retorno do Uber Pet, apenas nos Estados Unidos. Você pode levar cachorro, gato e até iguanas no carro, porém é cobrada uma taxa adicional. Esse valor varia entre US$3 e US$5 (ficando entre R$12 e R$20, mais ou menos). 

A vantagem para o motorista é que ele recebe uma parcela do valor bem maior em corridas com animais. Mas, caso ele tinha alergia ou realmente não queria fazer esse serviço, é possível remover essa das opções de passageiros com os quais ele aceita trabalhar. 

A opção do Uber Pet ficará ao lado do UberX, Comfort, Black e Pool. Então, o usuário escolhe a modalidade que melhor lhe atender no momento. Em algumas cidades, isso já está funcionando, como em Austin, Denver, Filadélfia, Nashville, Minneapolis-St. Paul, Phoenix e Tampa Bay. Mas, já há planos para expandir para mais localidades.

O aplicativo ajuda o motorista a saber o que já esperar. Ele está aceitando levar os animais – é claro, transportados com segurança, tanto para o bichinho quanto para as pessoas. Além disso, o usuário fica mais tranquilo de não ter várias corridas canceladas por esse motivo.

Mas, para cães-guia, não é necessário solicitar o Uber Pet, já que eles são aceitos em qualquer categoria do aplicativo e sem custo adicional. Essa regra vale tanto nos Estados Unidos quanto no Brasil.

Segundo a Uber, não há previsão para esse serviço voltar ao Brasil.

Leia também: Spot: o cão robô da Boston Dynamics já está à venda

O que fazer sem o Uber Pet?

Como falamos antes, em casos de cão-guia não é necessário fazer nada, já que por lei eles são aceitos em qualquer transporte, seja ônibus, seja carro particular. Contudo, se você precisa levar seu bichinho ao veterinário, por exemplo, há algumas coisinhas a se fazerem. Confira. 

  • Primeiro, você deve ligar ou mandar mensagem no chat para o motorista que aceitou sua corrida. Avise-o de que você está com seu animalzinho na viagem. Pergunte se está tudo bem para ele.
  • Lembre-se sempre de colocá-lo numa caixa de transporte. São vendidas em qualquer petshop, ou você pode adquirir pela internet. Assim, o motorista pode se sentir mais confortável em fazer a viagem.
  • Tenha sempre com você uma toalha, tanto dentro da caixinha quanto no colo com o animal. Dessa maneira, você passa mais confiança de que o pet não irá sujar o carro.
  • Caso seja um cachorro de porte maior, leve-o na coleira e o segure bem firme – para a segurança de todos no veículo. Assim, evita de o bichinho se movimentar dentro do carro.
  • Se você realmente tiver um cachorro grande, tente pedir um carro maior, como o UberBag. Afinal, será bem mais confortável para o animal estar em um lugar em que ele não fique espremido, evitando também que ele fique muito estressado.

Pelo fato de você só conseguir avisar o motorista depois de ele ter aceitado a corrida, dificultam-se um pouco as coisas para os donos. Por isso, lembre de chamar o Uber um pouco antes do horário de sair, evitando atrasos, já que, sem o Uber Pet, não podemos garantir que o motorista irá aceitar a sua corrida.

Empreendedores e o PetDriver

Pensando em como o mercado de pets vem crescendo absurdamente no Brasil, dois amigos do Rio de Janeiro criaram o PetDriver. Um deles é especialista na área de tecnologia e o outro trabalhava em uma plataforma petrolífera, e fazia um freela de transportar cachorros. Assim, criaram em 2016 um aplicativo parecido com o Uber Pet quando perceberam que tinha muitas pessoas levando seus animaizinhos no veterinário em carros de aplicativos.

E, como é bem difícil que o motorista aceite um cachorro no seu carro, por fazer sujeira ou soltar muito pelo, decidiram criar o seu app.

Foi lançado apenas em 2017, e conta com carros totalmente adaptado para os bichinhos. Com capas de couro, coleiras, aspirador e kits de higienização. Além disso, os motoristas devem passar por um treinamento para melhor atender aos animais.

As viagens costumam custar 15% a mais que uma viagem no Uber Black, que é o serviço mais caro e premium do aplicativo. E o usuário pode solicitar o carro na hora ou agendar um horário. Isso ajuda quando seu pet tem hora no banho e tosa ou no veterinário, por exemplo. Faz tanto sucesso que essa é a opção mais utilizada. 

O dono do animalzinho pode tanto ir com ele na corrida quanto deixar o pet ir sozinho. Caso opte pela segunda opção, você consegue acompanhar a corrida do seu celular – assim como no Uber Pet. Além disso, você recebe um SMS quando o motorista entregar o bichinho no ponto de destino.

Patrocínio

Os criadores dizem que foi difícil fazer com que os motoristas aderissem ao aplicativo. Foram muitas conversas explicando o modelo de negócio. Depois, foram liberados alguns cupons para atrair usuários. No final de 2017, conseguiram uma parceria com um hotel no Rio de Janeiro.

Sendo assim, hoje, o aplicativo tem 35% das chamadas vindo de parcerias, como com a Royal Canin, que fez alguns treinamentos com os motoristas. Isso, porque esse era outro desafio que teve que ser superado: a segurança dos bichinhos. E, para que não aconteça nenhum acidente, todos devem passar pela capacitação.

Em 2018, o aplicativo chegou a São Paulo – segunda cidade a participar, sendo Rio de Janeiro a primeira. Atualmente, já conta com 500 motoristas e mais de 7 mil usuários, tendo faturamento em torno de R$1 milhão. Para conseguir ampliar o serviço para mais cidades, os criadores esperam mais investimentos de países do exterior. 

O aplicativo está de forma gratuita tanto para Android quanto iOS. E as corridas podem ser pagas com cartão de crédito.

Aplicativos para Pets

Mesmo sem o Uber Pet, hoje em dia temos uma grande variedade de aplicativos que te ajudam a cuidar dos bichinhos. Assim, alguns nos lembram das vacinas, ajudam a achar as rações, veterinários mais próximos e até um hotel para seu cachorro. Existem também aqueles que reproduzem músicas para acalmar seus amigos peludinhos, afinal fogos de artifício podem deixá-los muito estressados.

Há também aplicativos para saber quais lugares são pet friendly, de modo que você pode levá-los junto num jantar, por exemplo. E, outros que ajudam a entender quais alimentos você pode ou não dar para eles. Mas, não pense que são apenas para cães e gatos, pois há app para peixes e aves também. Confira tudo aqui.

 

Apesar de o Uber Pet não existir mais no Brasil, os motoristas estão sendo mais gentis em ajudar os donos de bichinhos de estimação. Lembre-se de seguir alguns pontos básicos, como andar na coleira e ter uma toalha para não sujar o carro.

Leia também: Plano de celular para Uber: saiba como escolher

Continue acompanhando nosso blog!

 

Mac Pro: veja as novidades do lançamento da Apple

Mac Pro

Robusto, potente e caro. Assim é o Mac Pro, o mais novo computador da Apple, previsto para ser lançado no último bimestre de 2019.

Depois de um período de polêmicas sobre o país que faria a produção dos componentes do Mac Pro, ele promete chegar esbanjando capacidade e desempenho, ao custo de um carro popular para os brasileiros.
Saiba mais sobre os recursos e novidades do Mac Pro 2019 neste post.

Design do Mac Pro

Não espere que o Mac Pro possa ser comparado ao modelo antigo. Esqueça aquele formato cilíndrico. O design é diferente. No entanto, lembra o primeiro modelo da série.

Nesta nova versão, é difícil não comparar o visual do Mac Pro com um ralador de queijo na cor prata. O gabinete de alumínio, que envolve uma estrutura vazada em aço inoxidável, pode ser removido por cima, dando 360º de acesso aos componentes e às inúmeras configurações. Afinal, além de duas alças, ele tem rodinhas para facilitar o transporte.

Outro detalhe é o ponto central do Mac Pro, no qual são acomodadas uma grande variedade de componentes e configurações da máquina.

Da base até as alças, a estrutura abriga o sistema como um todo e oferece pontos de instalação para componentes internos. Ou seja, é fácil customizar o seu computador.

Quanto ao peso, vemos um incremento substancial: de 5kg subiu para 18kg. O peso do Mac aumentou por causa dos seus equipamentos internos. As dimensões do novo Mac Pro são 52,9 cm x 45 cm x 21,8 cm.

Leia também: Internet para casa: veja qual o melhor pacote

Desempenho e armazenamento

Confira algumas melhorias que o Mac Pro recebeu, com relação à versão de 2013.

Melhor taxa de transmissão de dados

A taxa de transmissão de dados do equipamento foi beneficiada com uma interface que comporta duas entradas do tipo Thunderbolt 3 (compatível com USB-C e DisplayPort), duas portas USB-A, além de duas entradas Ethernet de 10 GB. E, na parte superior, encontram-se duas entradas Thunderbolt 3. O Mac Pro 2013, no entanto, possui a Thunderbolt 2 e USB 3.0 como as principais entradas.

Processador

O Mac Pro 2019 vem com a versão ‘W’ do processador Intel Xeon, que pode chegar a até 28 núcleos de processamento. O processador do modelo antigo, do Mac Pro 2013, trazia um processador Intel Xeon E5, com até 12 núcleos de processamento.

Armazenamento

A memória RAM do mais novo computador da Apple é DDR4 EEC, a qual pode alcançar 1,5 TB de armazenamento nos modelos mais completos do desktop. Com a nova placa de vídeo AMD Radeon Pro Vega II Duo, o SSD pode chegar a 4 TB de armazenamento. Nada visto antes em um dos produtos da Apple.

Já no Mac Pro 2013, a memória RAM permitia obter uma máquina com 64 GB de memória DDR3 EEC. O armazenamento era de até 1 TB e a placa de vídeo AMD FirePro.

Apesar de o modelo ainda ser potente, é considerado defasado nos dias de hoje (em comparação a outros Macs, é claro!).

Recursos extras do Mac Pro

O principal recurso extra é voltado para a edição de vídeo, com a aplicação da nova placa Apple Afterburner. Com este componente, é possível editar até 3 vídeos de 8k ao mesmo tempo, diretamente da câmera.

Por sua vez, o modelo Mac Pro 2013 contava apenas com monitores 4k. É uma baita diferença.

Ainda, tem o dissipador de calor, inserido para manter o sistema resfriado e funcionando sem nenhuma restrição. Contudo, para atingir o melhor desempenho possível, o processador precisa usar toda a sua potência. Neste caso, estamos falando de mais de 300 watts.

Dessa forma, as tubulações afastam o ar quente do chip, dispersando o calor por aletas de alumínio, e três ventoinhas garantem fluxo de ar por todo o sistema.

Mac Pro 2019: ficha técnica e preço

O Mac Pro computador é um dos produtos mais caros da Apple. No Brasil, os valores partem de R$ 23.499, chegando a R$ 31.499, conforme consta no site da Apple.

Compare as diferenças entre o Mac Pro 2019 mais básico e o mais potente.

6 core e duas GPUs

  • Processador: Intel Xeon E5 6 core de 3,5 GHz
  • Memória: ECC DDR3 de 16 GB, 1866 MHz
  • Dois AMD FirePro D500 com 3 GB de VRAM GDDR5 cada
  • SSD PCIe de 256 GB
  • Preço: R$ 23.499,00

8 core e duas GPUs

  • Processador: Intel Xeon E5 8 core de 3 GHz
  • Memória: ECC DDR3 de 16 GB, 1866 MHz
  • Dois AMD FirePro D700 com 6 GB de VRAM GDDR5 cada
  • SSD PCIe de 256 GB
  • Preço: R$ 31.499,00

Sem dúvida, o Mac Pro é uma solução desenvolvida para usuários exigentes, que precisam de grande capacidade de processamento e armazenamento para trabalhar. Difícil imaginar alguém investindo em uma máquina desse porte para o lazer, mas, enfim, basta ter a disposição financeira para tal.

Apple confirma que vai produzir novo Mac Pro nos EUA

Depois da polêmica sobre a possibilidade de o Mac Pro ser produzido na China, a Apple anunciou, no último dia 23 de setembro, que o seu computador top de linha será produzido em Austin, no estado norte-americano do Texas.

A decisão foi tomada após o governo dos Estados Unidos aliviar algumas tarifas de importação de componentes. Mas, no final, dos 15 pedidos de isenção de tarifas apresentados pela Apple, somente 5 foram aprovados por reguladores comerciais dos EUA.

Como a empresa não conseguiu comprovar que a aplicação das tarifas causaria um dano econômico severo para as suas finanças, o United States Trade Representative (USTRA), em português Escritório do Representante Comercial dos EUA, acabou não cedendo muito.

Assim, ficaram isentos de tarifas as rodinhas opcionais do computador, um adaptador de energia, uma placa de circuito, o cabo de força e um sistema de arrefecimento, representando 25% dos componentes.

A guerra tecnológica que envolve o Mac Pro

Essa guerra tecnológica iniciou porque, em 2002, o presidente da Apple, Tim Cook, havia afirmado em um comercial de televisão que empresa passaria a produzir um Mac nos EUA. Como surgiram rumores relacionados à produção do computador no país chinês, a Apple virou notícia, muito além dos seus produtos.

Conforme um comunicado da Apple, o Mac Pro incluirá componentes projetados, desenvolvidos e fabricados por mais de uma dúzia de empresas norte-americanas para distribuição aos clientes nos EUA. E o local previsto contempla as mesmas instalações onde foram criadas as gerações anteriores do computador.

Por fim, além da geração de empregos, a montagem de aparelhos nos Estados Unidos reduzirá os custos de importação de peças que viriam da China.

 

Além disso, entre as novidades da Apple no ano, e não são poucas, há também o iPhone 11, o iPohone 11 Pro, o iPhone XS Max e o iOS 13, além do badalado Apple Watch, que chegou ao mercado na sua 4ª versão.

Gostou deste artigo? Quer ficar por dentro das notícias sobre tecnologia? Então acompanhe o blog Compara Plano.

5G no Brasil: operadoras usam música nos primeiros testes

testes 5g no brasil

O início operacional do 5G no Brasil ainda não ocorreu, mas grandes operadoras de telefonia do Brasil já têm realizado os primeiros testes de 5G no Brasil Em eventos badalados e cheios de ostentação, esses testes vêm mostrando um pouco do que esta tecnologia é capaz de proporcionar. A promessa é de que o modo como usamos a internet nunca mais será o mesmo depois que o 5G virar realidade.

Claro testa 5G no Allianz Parque

No último dia 20 de outubro, a Claro trouxe o 5G para o Allianz Parque, a casa do Palmeiras, transformando-o no primeiro estádio preparado para a chegada dessa tecnologia.

Durante o evento, a empresa proporcionou um espetáculo inusitado e surpreendente: a primeira apresentação holográfica de um músico em tempo real no Brasil.

A tarefa ficou a cargo de Lucas Lima (o músico, não o meia do Palmeiras), que apresentou o espetáculo Led Zeppelin in Concert, celebrando os 50 anos de lançamento dos dois primeiros álbuns da banda inglesa.

Lucas Lima participou em forma de holograma. Embora não tenha aparecido fisicamente no palco, sua imagem foi projetada como holograma transmitido em tempo real. Ou seja, não era uma gravação, o músico estava realmente tocando ao vivo.

Nessa apresentação foi possível conhecer um pouco das possibilidades do 5G e entender como essa tecnologia pode mudar para sempre o mercado de internet móvel no país. Embora o uso de hologramas em shows ao vivo não seja uma novidade, na grande maioria das vezes é utilizada uma gravação prévia, e não uma performance em tempo real.

A apresentação mostrada pela Claro no Allianz Parque indica que é possível levar shows holográficos a um patamar mais realista de entretenimento.

Leia também: Quais são os melhores planos de celular? Escolha já o seu

Outras operadoras já realizaram testes de 5G no Brasil

Em junho de 2019 a TIM demonstrou sua rede móvel de quinta geração na frequência de 3,5 GHz em Florianópolis.

Utilizando equipamentos da Huawei para uso de internet de alta velocidade e baixa latência (ou seja, atraso no percurso dos dados), a operadora apresentou algumas possibilidades do 5G em aplicações de internet das coisas, realidade virtual e operações críticas.

Os testes permitiram alcançar uma velocidade de até 1 Gb por segundo em um aparelho de celular.

Já a Oi utilizou a 20ª edição do Rock in Rio, em outubro de 2019, para testes da nova tecnologia. Todo o público do festival pôde utilizar a rede de wi-fi gratuita disponibilizada pela operadora. O evento contou com outra ação da Oi relacionada ao 5G, voltada para gamers e aficionados: a Oi GamePlay Arena.

No espaço Freeplay foi lançado a versão mobile do jogo Call of Duty, um clássico criado no início do século para PCs e que ganhou versões para diferentes tipos de aparelhos.

O que é 5G?

A tecnologia 5G promete uma internet de velocidade muito superior (de 50 a 100 vezes mais rápida) que a tecnologia atual. Espera-se uma velocidade de conexão entre 1 e 20 Gb por segundo, tornando a internet móvel tão rápida quando a banda larga caseira.

Na escala de evolução das gerações de internet móvel, a tecnologia 2G trouxe mais qualidade nas chamadas, o 3G trouxe a transferência de dados móveis e o 4G a aprimorou, trazendo a possibilidade de reprodução de vídeos, músicas por streaming, entre outras.

Desenvolvida para dar conta do crescente volume de informações trocadas diariamente por bilhões de celulares no mundo, o 5G representa uma grande evolução tecnológica. Promete ampliar enormemente os recursos de conectividade, garantindo que diversos dispositivos consigam estar conectados ao mesmo tempo e com boa velocidade. Uma das suas aplicações possíveis é a Internet das Coisas (IoT).

Trata-se de uma forma de permitir que objetos do dia se conectem entre si, utilizando a internet em prol da praticidade. Carros autônomos, drones, eletrodomésticos inteligentes e milhares de outros objetos podem ser desenvolvidos e aprimorados com a tecnologia.

Leia também: Claro 4.5G: saiba o que é e como funciona

5G no Brasil: quando chegará?

A expectativa anterior de termos rede 5G no Brasil em 2019 ou no máximo no início de 2020 não parece mais realista. Nem mesmo a rede 4G é a dominante no Brasil, que ainda se conecta predominantemente com a 3G.

Embora o 5G já esteja presente em países avançados tecnologicamente, como Coreia do Sul, EUA e China, o cenário mundial não difere muito. A internet 4G ainda não foi totalmente difundida no mundo, mas ainda assim a indústria aposta muitas fichas no 5G. A previsão é que a tecnologia chegue ao Brasil apenas em 2021.

Questões como problemas de interferência de sinal em antenas parabólicas, altíssimo investimento de implantação, problemas de infraestrutura, falta de aparelhos celulares compatíveis e burocracia são alguns obstáculos.

Isso, porém, não diminui a expectativa da indústria e do público. Um estudo recente denominado “The Mobile Economy 2019” prevê que a rede 5G estará presente em 15% das conexões móveis do mundo até 2025. Coreia do Sul e Estados Unidos aparem à frente desse movimento, que promete mudar para sempre o modo como usamos internet.

Acompanhe o blog do Compara Plano e fique por dentro de todas as novidades do mundo da tecnologia e telefonia.

WhatsApp testa função para impedir entrada automática em grupos

whatsapp

Já deve ter acontecido de você abrir o WhatsApp e perceber que entrou em algum grupo já com dezenas de mensagens a serem lidas. Nem sempre, porém, nós queremos participar de mais um grupo, e muitas vezes ficamos sem jeito de sair deles. Esse problema parece estar perto de ser resolvido. O aplicativo está testando uma função que vai permitir o controle de quem pode adicionar seu número a um grupo.

Com mais de um bilhão e meio de usuários, o WhatsApp cada vez mais se consolida como o principal meio de comunicação de boa parte da população mundial. Os grupos do aplicativo são uma forma muito popular de manter o contato com amigos, organizar eventos em grupo e até mesmo servem como plataforma de trabalho.

Muitas vezes surgem alguns códigos sociais não ditos, uma espécie de etiqueta do WhatsApp, segundo a qual sair de um grupo sem dar satisfação pode ser considerado grosseria. Por outro lado, a possibilidade de adicionar alguém em um grupo sem o consentimento da pessoa também incomoda muitos usuários.

Leia também: Conheça planos de celular com WhatsApp ilimitado

Como funcionará esse controle no WhatsApp

O WhatsApp liberou a função a um número restrito de pessoas, na versão 2.19.289 do aplicativo. Com ela é possível configurar a permissão para ser adicionado a grupos.

Na primeira opção (Todos), o usuário permite que qualquer pessoa o adicione a um grupo do app. Na segunda opção (Meus contatos), apenas as pessoas que estão na lista de contatos do usuário podem fazê-lo. Por fim, na terceira (Meus contatos exceto) é possível impedir essa ação a alguns desses contatos.

Embora não exista a opção “Ninguém”, para bloquear a ação para todos os usuários, bastará selecionar a opção “Meus contatos exceto” e marcar todos os contatos registrados na agenda. Assim, quem detesta ser adicionado a grupos sem ter dado permissão poderá usar o aplicativo sem esse incômodo.

O usuário receberá uma notificação quando alguém da lista de bloqueados tentar adicioná-lo em um grupo e terá até 72 horas para aceitar ou não o ingresso nele.

Outras novidades recentes

Com cada vez mais usuários novos, o WhatsApp tem trazido atualizações e novidades constantes. Em setembro, o Whatsapp passou a informar seus usuários quando uma mesma mensagem foi encaminhada várias vezes, tanto em conversas individuais como em grupos.

Além da tradicional seta acompanhada da palavra “encaminhada”, as mensagens compartilhadas mais de cinco vezes passaram a receber outra seta.

A seta dupla indica então “mensagem encaminhada com frequência”. A medida ajuda a identificar mensagens que possam vir de correntes ou spam.

Ainda não há, porém, a possibilidade de ver quantas vezes a mensagem foi compartilhada. Veja mais algumas novidades que podemos esperar para os próximos meses.

Google Assistente para chamadas de voz e vídeo no WhatsApp

Devido à integração entre WhatsApp e Google Assistente, já é possível enviar e ouvir mensagens de áudio por meio de comandos de voz.

Em breve será possível também iniciar chamada de voz ou vídeo dessa forma, por meio dos comandos “ligar para – nome do contato no WhatsApp” e “começar uma chamada de vídeo com – nome do contato – no WhatsApp.

Autodestruição de mensagens

Aplicativos como Telegram e Signal contam com o recurso de autodestruição de mensagens após um tempo determinado por configuração. Esse recurso também chegará ao WhatsApp.

Ao enviar uma mensagem e selecionar a opção de autodestruí-la após uma hora, por exemplo, o aplicativo exclui automaticamente a mensagem, não notifica os contatos do chat e apaga qualquer rastro deixado por ela.

Versão para iPad e uso em vários dispositivos

A versão do app para iPad está em desenvolvimento e deverá ser liberada ainda este ano. O aplicativo também trabalha com a possibilidade de acessar a mesma conta em vários dispositivos, o que ainda não é possível. Atualmente, para utilizar o WhatsApp Web por exemplo, é precisa estar com o celular ligado e conectado à internet.

Resposta no modo privado de mensagem enviada a grupo

Está prevista uma novidade que permite que uma mensagem enviada em um grupo seja respondida de forma privada. Assim, o conteúdo da resposta chegará apenas ao chat de quem publicou a mensagem.

Compartilhamento de status do WhatsApp no Facebook

Começou a ser liberado aos usuários do WhatsApp o recurso que permite o compartilhamento dos status do aplicativo no Facebook.

Dessa forma não apenas os contatos na agenda, mas também os amigos nessa rede social poderão ver os status publicados no app de mensagens. Embora essa atualização já esteja disponível na versão beta do aplicativo, ela está sendo liberada aos poucos aos usuários da versão estável.

Com a novidade é possível compartilhar o status no WhatsApp de forma mais simples. Ao acessar a aba de status no app, o botão “Compartilhar status no Facebook” permite que a postagem apareça no Facebook imediatamente.

Outra novidade recente sobre Whatsapp é que ele deixará de funcionar em smartphones antigos. E você já leu o nosso artigo sobre o golpe do link falso no Whatsapp? Acompanhe o nosso blog e fique por dentro das notícias do mundo da tecnologia.

Qual a melhor tela de cel do mercado: Pixel 4 XL ou iPhone 11 Pro Max?

Melhor tela de cel do mercado

Qual a melhor tela de cel do mercado: Pixel 4 XL e iPhone 11 Pro Max? Até alguns dias o Apple seria a resposta imediata sobre a excelente qualidade do display. No entanto, o novo Android apresenta especificação interessante: o DisplayMate concedeu ao Google uma classificação A + e um prêmio de Melhor Monitor para Smartphone.

Isso por que a tela do Pixel 4 XL é de 90Hz e pode alternar com 60Hz dependendo da luminosidade. O Google explica ainda que, em algumas situações, a tela entrará no modo 60 Hz para melhorar a duração da bateria.

O sistema de desbloqueio da tela é facial, feito câmeras infravermelhas de desbloqueio, um projetor de pontos e um iluminador de inundação.

A ação de liberar o display se tornou ainda mais rápido pela incorporação do novo chip Soli do Google, um sensor de movimento instalado ao lado do sensor da câmera frontal. É ele que liga os sensores de desbloqueio facial para garantir que você possa acessar rapidamente o telefone.

Leia também: E-book grátis: conheça tecnologias para deixar a sua casa inteligente

Câmera

O Pixel 4 XL têm um sensor Dual Pixel de 12MP voltado para trás e uma lente telefoto de 16MP para zoom 2x. A câmera tira fotos de boa qualidade com uma resolução de 4033×3025 pixel e grava vídeos em 4K a espantosa resolução de 3840×2160 pixels.

Com as possibilidades de zoom 2x, o resultado são retratos de maior profundidade.

Outra novidade é o Live HDR +, recurso que permitirá que os usuários visualizem o processamento HDR + antes de tirar a foto. E ainda o controle de dupla, que possibilita o ajuste de luz e sombras.

Ficha técnica do Pixel 4 XL

Dimensões: 160.4 x 75.1 x 8.2 mm
Peso: 193 g
SIM Card: Nano-SIM/eSIM
Corpo: Frente e traseira em vidro, moldura em alumínio
Tela: P-OLED
Tamanho de tela: 6.3 polegadas
Resolução: 1800 x 3200 pixels
Proteção: Gorilla Glass 5
Sistema operacional: Android 10
Cartão de Memória: Não
Memória interna: 64/128 GB, 6 GB RAM
Câmera principal: Dual-LED flash, Auto-HDR – 12.2 MP
Cores: Just Black, Clearly White e uma edição limitada Oh So Orange

iPhone 11 Pro Max

Agora, depois de saber sobre as especificações do novo Pixel 4 XL, vamos conhecer um pouco sobre o iPhone 11 Pro Max. Ficará mais fácil para você entender qual a melhor tela de cel do mercado.

O Apple tem tela de 6.5 polegadas, com resolução de 2688 x 1242 pixels, e display OLED, uma tecnologia conhecida por deixar as cores ainda mais nítidas e vivas. Ainda, tem bordas arredondadas que se ajustam ao design curvo do telefone dentro da sua forma retangular.

O iPhone 11 Pro Max tem Super Retina XDR que, além de ser mais brilhante e inteligente, é até 15% mais eficiente no consumo de energia. A melhora no desempenho acontece pela capacidade de os pixels, que emitem a sua própria luz.

Na comunicação entre o driver e a tela, foi usado um OLED mais eficiente, casado com um design otimizado, que garante dois novos picos de brilho, um sob a luz do sol e outro para ver fotos e vídeos HDR.

Com toda a combinação de tecnologia, o resultado é a intensificação das áreas mais brilhantes, para imagens mais nítidas.

O vidro, para os mais descuidados, ficou mais forte, feito com moléculas mais resistentes. Com classificação IP68, é resistência à água a uma profundidade de até quatro metros por até 30 minutos. Ainda, não se abala com respingos de líquidos comuns, como café, chá e refrigerante. O modelo é precisamente selado para maior proteção do aparelho.

Câmera

O sistema de câmera tripla do iPhone 11 Pro Max, com 12 megapixel, também traz uma lente teleobjetiva. Com ela, você pode clicar retratos de qualidade profissional e usar o zoom para registrar detalhes mesmo à distância. A espessura de 8.1 milímetros é ótima e torna o Apple iPhone 11 Pro Max ainda mais espetacular.

Ficha técnica iPhone 11 Pro Max

Tamanho da tela: 6,5 polegadas
Resolução da tela: 2688 x 1242 pixels
Painel da tela: OLED
Câmera principal: tripla, 12 megapixels
Câmera frontal (selfie): 12 megapixels
Sistema: iOS 13
Processador: Apple A13 Bionic
Armazenamento (memória interna): 64 GB, 256 GB e 512GB
Cartão de memória: sem suporte
Dual SIM: sim (nano SIM e eSIM)
Peso: 226 gramas
Cores: dourado, cinza espacial, prata e Verde da Meia-Noite

Então, qual a melhor tela de cel do mercado?

O iPhone tem uma tela pouco maior, mas ambos são grande e tem OLED. Assim, ambos terão qualidade, nitidez e cores vibrantes. Um dos destaques para o Pixel é o Display Suave de 90Hz, que deixa a tela mais rápida e responsiva.
A tecnologia de reconhecimento facial Google chega para competir de frente com o Face ID da Apple. Isso porque o Motion Sense pode ser usado para pular faixas do Spotify com um simples movimento de deslizar acima do telefone. Um diferencial de peso.
A batalha é dura, e na  hora da decisão, outros componentes do celular podem ajudar na opção de compra. Uma delas é o desempenho da bateria, que é impactado diretamente quando se fala em consumo e desempenho. Nesse quesito, o iPhone 11 Pro Max leva vantagem.
A melhor tela de cel do mercado vai depender de cada usuário, da experiência entre Google e Apple e, por que não, do bolso de cada um.

Tipos de telas

As telas, ou display do celular, para os leigos passam até despercebidas na hora de optar por um modelo ou outro.
Marca, qualidade da câmera, duração da bateria e o preço, claro, são itens mais avaliados na compra.
Porém as telas são fundamentais e muito importantes para o desempenho do smartphone. E não existe um ou dois tipos, são cinco diferentes tecnologias. Confira as variação:

1 – LCD

A tela de cristal líquido, essa é a composição delas, trabalha com a alteração molecular quando submetida à corrente elétrica. No processo, os cristais ficam opacos, fazendo com que a passagem de luz da placa “backlight” (que se mantém acesa) seja barrada.
Esse tipo de tela, muito usada, consome bastante bateria. Por isso, para quem utiliza muito o aparelho e precisa de autonomia, elas não são recomendadas.

2 – IPS

Os “In-Plane Switching”, ou “Comutação Plana”, são uma variação das LCDs. A diferença está na organização dos cristais, que ficam perto da tela, resultando em uma melhor qualidade da imagem.

3 – OLED

Evoluídas do LED, as telas “Organic Light-Emitting Diode” são compostas de diodos, responsáveis pela emissão de sua própria luz. A tecnologia resulta em um menor consumo de energia.

4 – AMOLED

Ótima escolha para quem curte jogos e vídeos. As telas “Active-Matrix Organic Light-Emitting Diode” são feitas em camadas que melhoram a responsividade e deixam as imagens mais fluidas .

5 – Super AMOLED

A Samsung adicionou uma camada sensível ao toque para atualizar a tela AMOLED. Assim, a Super AMOLED dispensa o vidro do aparelho, deixando o celular mais leve e melhorando a definição.

Tela promessa

O MicroLED está sendo desenvolvido com materiais inorgânicos, dispensando camadas de polarizadores e encapsulamento. O resultado é um aparelho ainda mais fino e leve, que consome até 50% menos bateria.
Agora que você sabe mais sobre a melhor tela do mercado, que tal ler também sobre quais os melhores celulares com a tela grande de 2019. 

Netflix x TV paga: serviço de streaming supera número de assinantes

Netflix X TV paga

A Netflix já tem mais assinantes no Brasil que a TV por assinatura. Segundo dados divulgados pelo UOL, a plataforma online confirmou que já possui mais de 10 milhões de assinantes no Brasil. Com este número, na disputa Netflix x TV paga, o serviço de streaming está levando a melhor.

Com este número, a empresa apresenta uma base de clientes maior do que qualquer operadora de TV por assinatura do país. Isso se confirma pois, de acordo com dados da Anatel, relativos a julho de 2019, o grupo Claro/NET detém 49,34%, com 8,1 milhões de contratos. Já a somatória de SKY, Oi e Vivo daria em torno de 7,9 milhões.

Segundo análise do Tudo Celular, olhando para os números apresentados, a Netflix teria uma arrecadação próxima de R$ 4 bilhões por ano apenas aqui no Brasil. O número, de acordo com o site, representaria praticamente metade dos R$ 10 bilhões faturados pela TV Globo – só a televisão aberta, sem contar todo o Grupo – no último ano.

Se os números brasileiros animam a empresa de serviço de streaming, imagina quando analisados os números a nível mundial. Nessa esfera, a Netflix tem mais de 150 milhões de pagantes.

 

Netflix X TV paga

Enquanto os números são positivos para os serviços de streaming, a Anatel divulgou os mais recentes dados sobre as TVs por assinatura (de julho deste ano), que apresenta números negativos.

A baixa registrada entre o período de um ano foi de 7,43%. Em números, isso representa o cancelamento de 1.327.427 contratos. A diminuição de assinantes pode estar diretamente ligada à disputa entre Netflix X TV paga e o crescimento das plataformas de streaming.

No total de contratos ativos, a empresa Claro/NET – que já atuavam em conjunto oferecendo serviços complementares desde 2011 e se fundiram oficialmente em julho de 2019 – possui 8.160.838 (49,34%) dos contratos ativos.

A SKY aparece em segundo lugar, com 4.968.445 ou 30,04% dos assinantes de TV paga do Brasil. Completam a lista a Oi, com 1.572.433 (9,50%) e a Vivo, que possui 8,67% dos contratos ativos, ou 1.434.641 de pagantes.

Desempenho das TVs por assinatura

Das quatro principais prestadoras de TV por assinatura, a única que oscilou positivamente foi a Oi, com um aumento de 6.383 contratos (0,41%), em comparação ao mesmo mês do ano passado. Já a Claro/NET registrou perda de 760.080 clientes (-8,52%), enquanto a SKY teve 235.695 assinaturas desfeitas (4.53%).

A Anatel ainda disponibilizou os números divididos por Estados brasileiros. Segundo dados de agosto de 2019, São Paulo é o que apresenta a maior quantidade de contratos ativos, com um total de 6.073.510 – queda de 1,30% em um mês. Já Roraima ficou em último lugar, com o menor número de assinaturas, em uma somatória de 15.762 – também com queda de um mês para o outro correspondente a 1,76%.

Na região Sul, o Rio Grande do Sul é o Estado com o maior números de pagantes: 1.138.222. Mesmo com o maior número de assinaturas, a queda foi significativa de um ano paro o outro. Em agosto de 2018, eram 1.262.295. Assim, a diferença é de 9,83% menos clientes na carteira das prestadoras segundo a Anatel.

Tira dúvidas Netflix

O que é?

A Netflix é um serviço de streaming, ou seja, de transmissão online, que oferece uma variedades de séries, filmes e documentários. Um detalhe importante: sem intervalo comercial.

Quanto custa?

Os planos começam a partir de R$ 21,90 por mês. Sem contrato ou taxa extras.
A boa notícia é que você pode experimentar grátis por 30 dias. O usuário não será cobrado se ficar o cancelamento antes do fim do mês grátis. Se gostar, a assinatura continuará válida até que o utilizador solicite o cancelamento.

Onde dá para assistir?

É possível assistir em qualquer aparelho conectado à Internet compatível com o aplicativo Netflix, como Smart TVs, smartphones, tablets, aparelhos de streaming e videogames.

Também é possível baixar os conteúdos com o aplicativo Netflix para iOS, Android ou Windows 10. Com o downloads dá para assistir o que quiser sem precisar de conexão com a Internet.

Dá para cancelar?

Sim, não há taxa de cancelamento. Basta entrar no site a qualquer momento.

Quais os conteúdos disponíveis?

A Netflix tem um grande catálogo de filmes, documentários, séries e originais premiados.

Concorrência ficará mais forte com a chegada da Apple TV+

Uma nova plataforma de streaming estará disponível a partir de 1º de novembro. A Apple TV+, a plataforma de transmissão online da Apple, está chegando para concorrer com a Netflix.

Os amantes dos conteúdos originais poderão acessar uma programação exclusiva por apenas R$ 9,90 por mês. O valor fica ainda mais atrativo se pensar que a mesma assinatura pode ser acessada por até seis pessoas da mesma família. E o usuário só começa a pagar depois de uma degustação gratuita de sete dias.

A Apple TV+ promete uma programação nova e de qualidade todos os meses, com filmes e séries criados por grandes nomes do cinema e da TV.

Outra empresa que está prestes a lançar sua própria plataforma de streaming no Brasil é a Disney, aliás todas as produções dela devem sair do catálogo da Netflix a partir do ano que vem. Saiba tudo sobre isso neste outro artigo do Compara Plano.

Além disso, a disputa no streaming ainda conta com a Amazon Prime, que custa R$ 9,90 e dá direito ao Prime Video; fora a concorrência com Fox Premium, HBO Go ou Telecine Play.

iPhone 11 Pro: conheça o que ele tem de melhor

iPhone 11 Pro

Para quem é fã de fotografia, vale a pena conhecer o iPhone 11 Pro. De cara, evidencia-se a diferença quanto ao número de sensores principais de 12 MP em um trio de câmeras.

Uma ultra-angular, outra grande-angular e mais uma teleobjetiva como adicional, para garantir imagens com mais riqueza de detalhes ou com áreas destacadas mesmo em longas distâncias.

Com essa combinação, é possível capturar um campo de visão até quatro vezes mais amplo que as câmeras de modelos anteriores e tirar fotos com qualidade em ambientes praticamente sem luz.

Na prática, é como se, numa fração de segundo, as três câmeras fizessem imagens distintas e depois as juntassem. Na composição, atingissem a consistência de imagem e de cor. Isso é possível pelo alto nível de processamento do chip A13 Bionic.

O chip foi projetado para ser extremamente rápido, tanto que iPhone 11 Pro consegue capturar 120 fotos por segundo, alternando entre exposição normal e curta. Ainda, grava com facilidade vídeos 4K a 60 qps com alcance dinâmico estendido e estabilização cinemática de ví­deo. Se precisar editar, já apresenta ferramentas avançadas para deixar os filmes ainda melhores.

Leia também: E-book grátis: conheça tecnologias para deixar a sua casa inteligente

Os detalhes da câmera do iPhone 11 Pro

A Apple caprichou no conjunto de câmeras triplas do iPhone 11 Pro. Confira alguns dados iniciais:
  • 40% mais captura de luz com a teleobjetiva
  • 36% mais brilho no flash True Tone com sincronização lenta
  • Zero tempo de resposta do obturador
  • 6 efeitos de iluminação no modo Retrato
  • 2x mais altura para fotos panorâmicas
  • OIS – Estabilização óptica de imagem
Só por esses diferenciais, já dá para ter uma ideia da qualidade das imagens capturadas. Então, vamos especificar alguns detalhes que fazem a diferença:

Ultra-angular

Sabe aquela paisagem de tirar o fôlego, monumento enorme, catedrais imponentes, arranha-céus… tudo que não cabia em uma foto? Com a câmera ultra-angular, você aumenta o campo de visão em até quatro vezes. Sem sair do lugar é como se desse muitos passos atrás para colocar tudo que precisa para dentro da imagem.

Modo noite

o iPhone 11 Pro conta com o Modo Noturno automático, graças a um HDR inteligente. Ele identifica detalhes mais nítidos de luz e sombra e descarta os de menor qualidade em ambientes mais escuros. Isso significa que o iPhone 11 Pro pode corrigir automaticamente detalhes nos primeiro e segundo planos – algo que mesmo algumas câmeras DSLR não conseguem fazer.

Além disso, que usa a tecnologia e a velocidade de captação do chip A13 Bionic. Assim as fotos de um jantar à luz de velas, ou a captura de faróis do carro, por exemplo, podem ser feitos com qualidade.

Modo Retrato

O grande diferencial é o efeito fundo desfocado que ganha mais versatilidade com a presença das câmeras triplas. Isso acontece graças a Iluminação de Retrato permite controlar a intensidade da luz para destacar o tema da foto em primeiro plano, como num estúdio. Além disso, o iOS 13 introduz o efeito Luz Brilhante Mono para fotos monocromáticas com qualidade profissional.

“Slofie”

Já ouviu falar “slofie”? A expressão vem das selfies transformadas em vídeos em câmera lenta, ou slow motion, com a nova câmera TrueDepth de 12 MP. Nas fotos, a câmera ainda afasta o zoom de maneira automática.

Tela

O iPhone 11 Pro tem Super Retina XDR que, além de ser mais brilhante e inteligente, é até 15% mais eficiente no consumo de energia. A melhora no desempenho acontece pela capacidade de os pixels, que emitem a sua própria luz.
Na comunicação entre o driver e a tela, foi usado um OLED mais eficiente, casado com um design otimizado, que garante dois novos picos de brilho, um sob a luz do sol e outro para ver fotos e vídeos HDR.
Com toda a combinação de tecnologia, o resultado é a intensificação das áreas mais brilhantes, para imagens mais nítidas.

Vidro

Para os mais descuidados, o vidro ficou mais forte, feito com moléculas mais resistentes. Com classificação IP68, é resistência à água a uma profundidade de até quatro metros por até 30 minutos. Ainda, não se abala com respingos de líquidos comuns, como café, chá e refrigerante. O modelo é precisamente selado para maior proteção do aparelho.

Ficha técnica iPhone 11 Pro

Tamanho da tela: 5,8 polegadas
Resolução da tela: 2436 x 1125 pixels a 458 ppp
Painel da tela: OLED
Câmera principal: tripla, 12 megapixels
Câmera frontal (selfie): 12 megapixels
Sistema: iOS 13
Processador: Apple A13 Bionic
Armazenamento (memória interna): 64 GB, 256 GB e 512GB
Cartão de memória: sem suporte
Dual SIM: sim (nano SIM e eSIM)
Peso: 188 gramas

iPhone 11 Pro Max

O Apple iPhone 11 Pro Max chega para aprimorar algumas características do iPhone 11 e do iPhone 11 Pro.
Um dos itens fala mais com a preferência do usuário do que mexe com a qualidade: o tamanho da tela.
Ela tem 6.5 polegadas, com resolução de 2688 x 1242 pixels, e display OLED, uma tecnologia conhecida por deixar as cores ainda mais nítidas e vivas.
Ainda tem bordas arredondadas que se ajustam ao design curvo do telefone dentro da sua forma retangular. Resistência a respingos, água e poeira.
Com especificações que variam praticamente apenas no tamanho da tela e resolução da mesma, você pode conferir neste outro artigo do Compara Plano mais informações sobre o iPhone 11 Pro Max.

iPhone 11 Pro Max superou autonomia de todos os rivais em 2019

iPhone 11
Para quem conhece as novidades lançadas pela Apple sabe que o desempenho da bateria dos iPhone são sempre assunto. O aparelhos da marca nunca foram conhecidos pela super autonomia, no entanto, parece que a Apple decidiu mudar este paradigma: o iPhone 11 Pro Max superou autonomia de todos os rivais em 2019.

As melhorias na bateria foram significativas, principalmente se compradas com aparelhos da mesma marca. Um avanço importante, afinal, cada dia mais é necessária capacidade de autonomia para suprir as necessidades cada vez maiores dos usuários.

Segundo informações da TENAA, órgão chinês equivalente à Anatel, as mudanças nas baterias são as seguintes:

  • iPhone 11: 3.110 mAh (contra 2.942 mAh do iPhone XR)
  • iPhone 11 Pro: 3.046 mAh (contra 2.658 mAh do iPhone XS e 2.716 mAh do iPhone X)
  • iPhone 11 Pro Max: 3.969 mAh (contra 3.174 mAh do iPhone XS Max)
Traduzindo, o iPhone 11 tem bateria 5,7% maior que o iPhone XR. O modelo 11 Pro possui capacidade 14,5% maior que seu antecessor, o iPhone XS. Enquanto isso, o 11 Pro Max traz um aumento de 25% em relação ao iPhone XS Max.
Segundo a Apple, o iPhone 11 Pro oferece quatro horas a mais de bateria que o iPhone XS, enquanto o 11 Pro Max tem autonomia cinco horas maior que o XS Max. Para o iPhone 11, ela promete “bateria para o dia inteiro”.

Testes de autonomia

Segundo testes mostrados pelo TudoCelular, a bateria do iPhone 11 Pro Max entrega o que promete.
Foram feitos 18 ciclos completos, durante um dia inteiro, com a seguinte utilização:
  • 108 minutos de navegação no Chrome.
  • 540 minutos de WhatsApp, Spotify, música offline, vídeo offline e YouTube (72 minutos cada).
  • 108 minutos de jogos (Pokémon Go, Subway Surfers, Candy Crush, Modern Combat, Injustice, Asphalt 8).
  • 108 minutos de Facebook, Gmail e Google Maps (36 minutos cada).
  • 72 minutos de chamadas de voz via rede móvel;
  • O consumo em stand by ficou próximo de 1%.
  • Google e Youtube foram os apps que mais consumiram carga.

Os resultados foram os seguintes:

  • A bateria demorou quase 25 horas para esgotar completamente.
  • A tela permaneceu ligada por 12 horas e 25 minutos.

Comparação com outros modelos

O único resultado a encostar na bateria do iPhone 11 Pro Max é o Huawei P30 Pro. Para esse modelo, foram necessárias 22 horas e 39 minutos para o dispositivo desligar.
O incremento na capacidade da bateria em relação ao XS Max, aliado com a otimização do iOS, garantiram que mesmo tendo mAh a menos que os rivais Galaxy Note 10 Plus (a bateria acabou completamente em 18 horas e 23 minutos ) e Huawei P30 Pro, a autonomia fosse maior.
Clique aqui e saiba mais sobre a Huawei. Neste outro artigo, mostramos como a Apple tem perdido mercado para as marcas chinesas.

Ganho de um lado, perda de outro?

Algo que se notou é que, com o incremento da bateria, foi necessário aumentar a espessura e o peso do modelo. Para quem se preocupa mais com desempenho que estética, isso não chega a ser um problema.
Fato é que em comparação com os  modelos anteriores, as medidas “engordaram” um pouco. Dá uma olhada nos iPhone:
  • 11 Pro Max: espessura de 8.1mm, com o peso de 226g.
  • 11 Pro: espessura de 8.1mm, com o peso de 188g.
  • XS Max: espessura de 7.7mm, com o peso de 208g.
  • XS: espessura de 7.7mm, com o peso de 177g.

Mais sobre o iPhone 11 Pro Max

O Apple iPhone 11 Pro Max chega para aprimorar algumas características do já conhecidos iPhone 11 e iPhone 11 Pro. A seguir mostramos como:

Tela

A tela tem 6.5 polegadas, com resolução de 2688 x 1242 pixels, e display OLED, uma tecnologia conhecida por deixar as cores ainda mais nítidas e vivas. Ainda, tem bordas arredondadas que se ajustam ao design curvo do telefone dentro da sua forma retangular. Resistência a respingos, água, e poeira.

Câmera

O sistema de câmera tripla, com 12 megapixel, também traz uma lente teleobjetiva. Com ela, você pode clicar retratos de qualidade profissional e usar o zoom para registrar detalhes mesmo à distância. A espessura de 8.1 milímetros é ótima e torna o Apple ainda mais espetacular.

Sistema operacional

O sistema operacional é o iOS 13, um dos sistemas operacionais móveis mais seguros do mundo. Seus recursos foram criados para proteger a privacidade do usuário. Saiba tudo sobre este novo sistema aqui.

Dual SIM

No modelo o iPhone 11 Pro Max é possível ter dois números no mesmo aparelho. Sempre com uma particularidade Apple. Ou seja, um dos números fica no chip comum, o outro precisa ser adicionado por uma espécie de chip virtual, o e-SIM. Porém, esse serviço requer um plano específico e nem todas as operadoras suportam. É preciso consultar a empresa fornecedora de linha.

Ficha técnica do iPhone 11 Pro Max

  • Tamanho da tela: 6,5 polegadas
  • Resolução da tela: 2688 x 1242 pixels
  • Painel da tela: OLED
  • Câmera principal: tripla, 12 megapixels
  • Câmera frontal (selfie): 12 megapixels
  • Sistema: iOS 13
  • Processador: Apple A13 Bionic
  • Armazenamento (memória interna): 64 GB, 256 GB e 512GB
  • Cartão de memória: sem suporte
  • Dual SIM: sim (nano SIM e eSIM)
  • Peso: 226 gramas
  • Cores: dourado, cinza espacial, prata e Verde da Meia-Noite
  • Preço de lançamento nos EUA: a partir de US$ 1.099