VPN: É seguro utilizar? Como funciona essa funcionalidade?

A rede privada virtual ou VPN (Virtual Private Network) é um tipo de conexão intermediária entre o servidor responsável pela rede e o seu computador. Frequentemente, uma VPN é comparada a um túnel entre os dois pontos da conexão, uma vez que serve principalmente para tornar a navegação anônima e mais segura. Um dos principais objetivos da VPN é a segurança. Vamos aprofundar o assunto.

O uso de uma VPN vai além do tráfego sigiloso pela internet. Neste post você vai entender mais sobre as vantagens e desvantagens de uma rede virtual privada e quais as questões relacionadas à segurança estão envolvidas no uso de uma VPN.

Ao final você confere também os motivos da polêmica com a Hola VPN e alguns exemplos de servidores pagos e gratuitos.

Confira!

Leia mais: App Defense Alliance deve melhorar a segurança dos aplicativos

CONFIRA OS MELHORES PLANOS DA TIM PARA O SEU CELULAR

Para que serve uma VPN?

Quando você navega pela internet, a maioria dos seus dados está identificada através do chamado protocolo de internet (ou número IP). A conexão por VPN existe para mascarar esse protocolo, garantindo sigilo e mais segurança.

Porém, esse acesso alternativo pode ser utilizado para diversos fins. Pessoas que trabalham com segurança da informação ou empresas com dados sensíveis podem ter o serviço de VPN como uma ferramenta essencial.

Do mesmo modo, usuários comuns podem optar por navegar através de uma VPN para burlar bloqueios de região, por exemplo. Um uso muito frequente nesse sentido é a utilização de uma rede privada para acessar catálogos de serviços de streaming de outros países. Ou ainda quebrar o bloqueio de plataformas de vídeo que não funcionam em determinadas regiões geográficas.

Facilidade geográfica

A Google Play Store e a App Store também são exemplos de serviços que possuem restrições geográficas. Com uma rede normal, ao acessar essas lojas digitais terá acesso aos aplicativos disponíveis na versão do país de onde o seu IP está registrado.

Com uma rede privada virtual, você acessa o conteúdo disponível em qualquer país onde o serviço de VPN que você utilizar tenha saídas.

Leia também: O que é e como funciona o CloudFlare

Quais as principais vantagens?

Como já mencionamos, a principal caraterística das conexões por VPN é a proteção e sigilo das suas informações. Resguardar dados sensíveis e impedir o rasteamento dos seus dispositivos significa estar livre, por exemplo, de publicidade indesejada e invasiva que é determinada com base nos sites que você acessa e na forma que você navega pela internet.

Além disso, dependendo da VPN que você utilizar, as camadas extra de proteção oferecidas pela rede privada podem também ser úteis na prevenção de ataques de certos tipos de vírus, como os mallwares.

Leia mais: Conheça os melhores antivírus gratuitos e pagos em 2019

Quais as principais desvantagens?

Uma desvantagem clara e irremediável é a perda de velocidade da sua conexão. Como a VPN funciona como uma espécie de entremeio no tráfego dos seus dados, é inevitável que a transmissão não apresente o mesmo desempenho do que uma rede pública comum.

Outro ponto negativo está no custo envolvido para a contratação de uma boa VPN. Ainda que algumas alternativas possuam planos gratuitos, as melhores opções sempre serão os provedores com planos pagos. Além disso, optar por uma VPN gratuita pode ser um tiro no pé que nos leva à terceira principal desvantagem.

Os dados sensíveis de navegação que você esconde através de uma conexão VPN podem muito bem ser comercializados por essas próprias empresas provedoras para anunciantes. Esse risco é ainda maior no caso de VPNs gratuitas.

Leia mais: Facebook é investigado por compra do WhatsApp e do Instagram

CONFIRA AS OPÇÕES DE PLANOS DA CLARO QUE MAIS DE ADAPTAM A VOCÊ!

Como evitar?

O ideal é sempre optar por uma rede privada que possua uma assinatura. Em geral, são os planos pagos que oferecem as melhores ferramentas de segurança e controle mais difíceis de serem rastreadas.

No caso das gratuitas, muitas se mantém financeiramente por meio dessa coleta de dados dos usuários e venda para quem deseja direcionar publicidade ou queira comprar os seus dados por outro motivo qualquer.

Essa transferência de dados pode ou não estar descrita nos termos e condições de uso do serviço. No caso da Opera VPN, por exemplo, essa prática é aberta e consta nas informações divulgadas pelo provedor. Porém, existem casos polêmicos, como o do Hola VPN, que vão além na venda de dados de navegação dos usuários.

Leia mais: Whatsapp tem falha de segurança grave, saiba como se proteger

O caso da Hola VPN

Muito popular entre usuários da Netflix no Brasil, a plataforma Hola VPN foi exposta em 2018 por desproteger seus internautas através de práticas obscuras com os dados desse usuários. O software funciona através de uma simples e prática extensão plugin do navegador Google Chrome, o que pode explicar sua popularidade.

De acordo com o site TorrentFreak, a troca está na banda larga inativa dos usuários que instalam o Hola VPN é vendida por meio de uma empesa parceira denominada Luminati.

Usuários que não concordarem podem optar pela versão paga do Hola. Porém, o que a plataforma não deixava claro é que a venda dos dados dos usuários gratuitos é feita também para os próprios assinantes do software.

Essa forma de monetização permite um redirecionamento da largura de banda entre os seus usuários que pode ser utilizado para criar uma botnet. Esse tipo de rede é utilizada em ataques para derrubar sites, roubar dados e enviar spam, por exemplo.

Na prática, a acusação aponta para um risco das conexões de milhares de usuários estarem sendo utilizadas para fins ilegais.

Leia mais: Aplicativos de segurança: conheça e navegue de forma segura

Três alternativas ao Hola VPN

Apesar das polêmicas com o Hola VPN e do risco envolvido na contratação de uma rede privada, existem opções mais transparentes e seguras em relação ao tráfego dos seus dados. Abaixo você confere três alternativas de provedores VPN.

NordVPN

Um dos diferenciais do NordVPN está na estrutura do seu site, que conta com um blog com textos informativos sobre segurança digital e um chat em tempo real para esclarecimento de dúvidas acerca do uso do serviço.

Entre as suas principais vantagens está a criptografia dupla, ou double VPN, e uma variada quantidade de saídas de servidores ao redor do mundo.

Windscribe

A Windscribe é uma alternativa com plano gratuito. A plataforma oferece 10 GB de tráfego por mês em sua versão free.

Porém, seu alcance é limitado e possui apenas oito países com IPs disponíveis. Além do suporte para computador (Mac, Linux e Windows), o Windscribe também está disponível em versão mobile tanto para Android quanto iOS.

Hide.me

O Hide.me também é uma alternativa segura que oferece uma versão sem custo. Porém, com menos tráfego disponível: 2 GB por mês.

Ainda assim, sua principal vantagem está na velocidade de navegação e na capacidade de downloads que, mesmo em plano gratuito, surpreende positivamente.

Leia mais: Entenda a polêmica do reconhecimento facial na China

Por fim, vale relembrar que a prioridade deve ser a sua segurança e a segurança dos seus dados. Informe-se ao máximo antes de contratar ou instalar um provedor de VPN. Sendo paga ou gratuita, preste muita atenção nos termos e condições de uso e busque saber informações sobre localização dos servidores, velocidade de navegação e limite de tráfego.

Fique atento ao blog do Compara Plano para mais artigos com dicas sobre segurança digital, planos e pacotes de operadoras de telecomunicações, notícias e novidades do mundo da internet e da tecnologia.

Todos os dias você vai encontrar novas publicações de qualidade sobre todos esses assuntos e muito mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat