Tik Tok: o app mais baixado que Facebook e Instagram

Você já ouviu falar do Tik Tok? Talvez não, porém com certeza já viu o que ele é capaz de fazer! Fato é que as produções baseadas em Tik Tok inundam as timelines, borbulham nos stories e alcançam a maioria dos grupos de Whatsapp atualmente. Voltado para o público mais jovem, o aplicativo permite ao usuário gravar vídeos curtos, de 15 a 60 segundos.

Sabe aquele vídeo rápido, bem digerível, no qual sua amiga aparece fazendo uma dublagem musical, dançando loucamente, criando um clipe ou se aventurando numa cena de humor? É bastante provável que ela tenha se valido do Tik Tok para produzi-lo.

Se você ainda não conhece esse aplicativo, veio ao lugar certo, pois nós do Compara Plano vamos te explicar tudo sobre ele.

O que é o Tik Tok?

Além de servir como um recurso de produção de vídeo, esse aplicativo funciona também como uma rede social. Nela, você pode seguir perfis de outros usuários, curtir ou comentar suas produções e compartilhá-las com quem quiser.

Uma grande sacada da empresa que o fornece, a Tik Tok Inc, é que você pode usar suas credenciais do Google, do Twitter ou do Facebook para acessá-lo, fato que facilita o gerenciamento de informações compartilhadas.

A plataforma é bastante direcionada ao público jovem. Os nativos digitais, sobretudo, parecem dominá-la, possivelmente em razão de serem mais desinibidos e terem esse anseio de aparecer publicamente em prol da vantagem virtual recebida em troca, os likes.

Só pra ter noção, ele atualmente anda batendo os principais apps como Instagram e Facebook nas listas de download, figurando como o destaque do momento nos recursos para dispositivos móveis.

Os recursos do aplicativo

No Tik Tok, seus usuários têm algumas funcionalidades bastante interessantes.

Primeiro, é possível gravar vídeos empregando o som do microfone do celular, o que permite ao ‘aspirante a artista’ produzir um minifilme com sua própria voz. Ou seja, é possível usá-lo como um recurso para dialogar com seu interlocutor diretamente, caso seja a intenção.

Depois, o usuário pode gravar em cima de um áudio predeterminado, com a função de dublagem. Essa parece ser a funcionalidade mais empregada atualmente, pois se tornou rotina vermos ‘cantores’ desconhecidos com voz altamente conhecidas.

Nesse formato, as cenas de novelas e filmes com diálogos marcantes também viraram rotina. Protagonizados por pessoas do nosso cotidiano representando a voz daquele ator ou daquela atriz superfamosos das telinhas, os vídeos ganham destaque, sobretudo quando bem performáticos.

Porém, não se limitam a essas as experiências filmográficas mais vistas. Os sketches com coreografias de dança aparecem a todo momento, bem como os vídeos com pitadas de humor, geralmente ácidos ou apimentados.

O próprio Tik Tok fornece um extenso catálogo de músicas, nacionais e internacionais, para que os usuários se deleitem na sua criatividade. E, sabendo que cada um sabe o que é melhor para seu vídeo, o app fornece o recurso da mixagem, em que o usuário ajusta o volume da faixa ou do ambiente como achar melhor.

Por isso, se você é um aspirante a rodar pelas redes sociais fazendo aquela firula engraçada que todo mundo compartilha, há grandes chances de você se dar bem esse aplicativo.

Sobre o Tik Tok

O Tik Tok surgiu no segundo semestre de 2018, porém é fácil lembrar que esses ‘efeitos’ já andavam aparecendo pelas redes sociais antes disso.

Acontece que, até aí, existia um app chamado Musical.ly, que fazia sucesso com dublagens que bombavam nas mídias digitais. Contudo, ele foi comprado pela Byte Dance, uma empresa chinesa de tecnologia que mantinha o já existente Tik Tok, numa operação que envolveu nada menos do que US$1bi.

Naquela época, o Musical.ly já alcançava os 100 milhões de usuários, e todos esses foram migrados para o Tik Tok, o qual manteve o nome depois da fusão. A empreitada da Byte Dance buscava torná-lo um aplicativo de alcance mundial, uma pretensão que aparentemente foi alcançada, e ultrapassada, quiçá valha dizer.

Repaginada, a nova rede social foi repaginada e ganhou novas funcionalidades, sendo incrementada no apelo para o público jovem. Os recursos de edição de vídeo, hashtags, legendas, adesivos temáticos, filtros para rostos e ambiente fizeram sucesso, fazendo-a alçar voos do tamanho da ambição de quem investe US$1bi em um app.

Só pra se ter uma ideia, na China, onde o app se destaca fortemente, os usuários fazem uso dele por cerca de 9% do tempo online.

Por lá, são cerca de 500 milhões de usuários, 1/3 da maior população nacional do mundo. Não é pouca coisa!

Leia também: Saiba qual o melhor plano de celular com redes sociais ilimitadas

O mercado do app está garantido?

O app faz tanto sucesso que, aparentemente, vai ser difícil tirar o seu posto de líder do segmento por algum tempo, pois sua marca de downloads já ultrapassou 1 bilhão.

Nos Estados Unidos, por exemplo, ele já é mais baixado do que Instagram e Facebook.

Depois de adentrar mais de 150 fronteiras nacionais, a Byte Dance se transformou numa startup com maior valor de mercado que o Uber: 75 bilhões.

Consequentemente, a startup mais valiosa do mundo, sedimentando uma ponte digital entre a China e o resto do globo. Porém, esse voo desenfreado começou a preocupar gigantes do segmento de redes sociais.

O Facebook, buscando frear a concorrência, está em fase de testes, no México, com uma versão alternativa da plataforma, chamada Lasso.

Pra saber se esse esforço vai dar resultados, ainda é cedo, sobretudo porque os números do Tik Tok se tornam cada vez mais expressivos.

Instagram e Twitter seguem com números bastante aproximados dos anteriores, em termos de usuários, porém o Snapchat já vê os seus gráficos em declínio. Possivelmente, por conta dessa chegada avassaladora.

Vale a pena baixar o Tik Tok?

Como já diria o poeta, “Nem tudo são flores!”.

Apesar de sempre pensarmos que as redes sociais são terrenos férteis para que floresçam ideias inovadoras, algumas podem, e são, sufocadas pelos filtros sempre presentes do Tik Tok.

O alinhamento que a empresa faz com diretrizes aparentemente estabelecidas pelos governos mundo afora acaba barrando o produto das ideias de alguns usuários.

Para se ter uma ideia, se você estivesse na China, não conseguiria levar adiante uma postagem que abordasse o massacre da praça Tiananmen. O governo tenta censurar toda e qualquer manifestação que relembre o ocorrido, e a rede social faz a sua parte nesse sentido.

Por outro lado, se você estivesse na Turquia, não conseguira tratar sobre o separatismo curdo nem sobre as políticas de Tayip Erdogan nos seus vídeos, o que leva, igualmente, a pensar sobre a liberdade que se tem na rede social.

Consequentemente, esse pode ser um caminho a ser trilhado pelos concorrentes da rede social, como o Facebook, o qual sempre manteve alta a bandeira da liberdade discursiva e da livre manifestação de conteúdo. É claro, independentemente de esse conteúdo ser verdadeiro ou fake, como é bem sabido.

Como usar o Tik Tok?

Para fazer uso da rede social, é bem simples, pois ela está disponível tanto para usuários de Android quanto de IOS.

Depois de baixar o aplicativo, basta criar uma conta ou fazer login com as suas credenciais do Google, do Facebook ou do Twitter, o que é uma facilidade bastante interessante em termos de integração de mídias.

A interface do Tik Tok é bastante intuitiva, facilitando a vida do usuário de primeiro acesso. Além disso, seus recursos são igualmente perceptíveis, sobretudo para quem já faz uso de outras redes sociais.

Depois disso, basta você exercitar sua criatividade, mostrar sua habilidade, caprichar na cenografia e se tornar um Tik Toker famoso mundo afora. Daqui a pouco, é você circulando pelas stories mais comentadas.

Gostou do artigo? Acompanhe nosso blog e tenha acesso a milhares de conteúdos sobre tecnologia, dicas e curiosidades e muito mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *