Tesla: conheça a marca tecnológica revolucionária no mundo

Imagina você entrar em um carro, acionar um aplicativo e de motorista, se transformar em passageiro? Simples, assim, com poucos cliques. Essa é uma das propostas da Tesla, que em outubro de 2019, comprou uma startup especializada no desenvolvimento de sistemas de visão computacional.

Apesar da empresa já produzir carros que contemplam o piloto automático, a ideia é que a companhia consiga fabricar seu primeiro automóvel com nível de automação 5, ou seja, totalmente autônomo, dispensando a supervisão de um motorista para funcionar.

Há pouco tempo, porém, a empresa virou assunto internacional após ter sido processada por um acidente que resultou em morte durante a fase de testes. Saiba mais sobre isso neste outro artigo.

Um pouco sobre a Tesla

Fundada em julho de 2003, a Tesla é uma empresa que fabrica e distribui automóveis elétricos. Além dos carros, a companhia também atua em projetos de sustentabilidade, os quais envolvem armazenamento de energia, produção de painéis solares e comercialização de componentes elétricos como baterias industriais de lítio-íon.

Atualmente a Tesla está localizada em Palo Alto, no estado norte-americano da Califórnia. Mas tudo começou em São Francisco, por um grupo de engenheiros que desejava projetar e fabricar veículos 100% elétricos. Entre eles, estava o renomado empresário Elon Reeve Musk, CEO da Tesla.

Um dos principais objetivos da empresa é o de ampliar e melhorar os métodos de geração de energia, bem como armazenar a energia existente. Para isso, a Tesla foca em oferecer produtos de alta performance, capazes de viabilizar a produção de energia limpa.

Os diferenciais dos carros

O primeiro carro elétrico projetado e fabricado pela Tesla Motors foi o Tesla Roadster, em 2008. Além do Roadster, um modelo esportivo, as outras opções de veículos da Tesla são: Model S (sedan esportivo), Tesla Model X (SUV), Tesla Model 3 (modelo acessível da companhia) e o Tesla Model Y (totalmente elétrico).

Em 2017, a Tesla apresentou o Semi, o seu primeiro caminhão elétrico.

Todos os veículos Tesla são produzidos na sua fábrica em Fremont, na Califórnia, local onde também são fabricados a maioria dos componentes do veículo.

Comparados com outros carros elétricos, eles apresentam uma autonomia maior, devido ao tamanho das baterias. Como os carros da Tesla são projetados do zero para serem elétricos, as baterias podem ocupar um grande espaço no veículo, o qual não precisa ser dividido com outras peças, como acontece nos carros tradicionais.

Com o painel comandado por uma tela, que mais parece um enorme tablet com seus aplicativos, a maioria dos carros da Tesla acelera, automaticamente, em menos de 5 segundos. A aceleração pode chegar de 0 – 100km/h em 3,4 segundos, no Model 3, por exemplo. Além disso, os veículos são projetados para se adaptar às condições climáticas rapidamente.

Sistema reconhece obstáculos

O pacote de recursos dos carros da Tesla compõem o chamado Autopilot. Dentre as implementações, está uma série de câmeras que identificam objetos situados ao redor do veículo, mostrando na tela para o motorista.

Além de reconhecer possíveis obstáculos, as placas de trânsito e faixas que delimitam as vias também são detectadas. Desta forma, esses automóveis podem manter a velocidade, fazer correções no volante e até frear automaticamente, respeitando o fluxo do trânsito.

Outra atração dos carros da Tesla são as funções de autonomia dos veículos, como o estacionamento automático em vagas paralelas ou perpendiculares. Como todo sistema é suscetível a bugs, não é permitido que os motoristas tirem as mão do volante enquanto estiverem andando com o Autopilot ativado.

E se a quilometragem percorrida for maior que o previsto, a bateria pode ser carregada nas superchargers, equipamentos que substituem os postos de combustível. Atualmente são mais de 14 mil espalhadas pelo mundo, com a implantação de seis novas localizações a cada semana, segundo dados do site da empresa.

Energia limpa e renovável

As soluções de energia da Tesla incluem:

  • Powerwall: é a bateria da casa, autoalimentada pela energia solar. Em um dia normal, a Powerwall e a energia solar respondem a todas as necessidades de energia da residência. A escolha da bateria é feita sob recomendação, a partir do consumo de energia estimado pela família.
  • Powerpack: é a união da tecnologia solar e de armazenamento, possibilitando às organizações comerciais e entidades governamentais a redução do consumo de energia. Os sistemas Powerpack podem ser carregados quando as tarifas de eletricidade estão baixas e descarregados durante os períodos de potência de pico, quando as tarifas de serviços estão altas.
  • Solar Roof: você pode ter um telhado diferenciado, de acordo com o design da sua preferência, e ainda, capaz de converter a luz solar em eletricidade. Com uma bateria Powerwall integrada, a energia recolhida durante o dia é armazenada e pode ser utilizada a qualquer altura, tornando a sua casa num serviço pessoal. As telhas de vidro solares são tão resistentes que dispõem da mesma vida útil da sua casa ou até mesmo infinita.

Segundo informações do site institucional da empresa, este é um ecossistema completo de energia sustentável, permitindo aos proprietários de habitações, às empresas e aos fornecedores de serviços distribuição de energia em rede, que façam a gestão da produção, do armazenamento e do consumo de energia renovável.

A Gigafactory 1 (fábrica que abriga as instalações concebidas para reduzir significativamente os custos das células de bateria) serve de apoio aos produtos automóveis e energéticos da Tesla.

Ao passar a produzir as células internamente, a Tesla fabrica baterias nos volumes necessários para cumprir os objetivos de produção, criando simultaneamente milhares de postos de trabalho.

Perspectivas de crescimento da Tesla

No terceiro trimestre de 2019, a Tesla bateu um recorde e produziu 6.155 veículos e entregou 97.000. No segundo trimestre, foram entregues 95.200 carros.
O destaque do crescimento foi a entrega do Model 3, chegando a  79.600, uma média de 6 mil carros por semana. No trimestre passado, foram entregues 77.550 carros desse modelo.

Meta geral de 2019

Apesar de estar longe da sua meta geral de 2019, que é de entregar entre 360.000 e 400.000 veículos por ano, a Tesla segue firme e forte, com planos para chegar lá.

Até o final de setembro de 2019, a  empresa entregou 255.200 veículos. Isso significa que precisará entregar, pelo menos, 104.800 veículos no último trimestre do ano a fim de alcançar o seu objetivo.

Um dos motivos que torna possível alcançar a meta geral de 2019 é o fato de que a Tesla afirma ter alcançado pedidos líquidos recordes no terceiro trimestre e que está “entrando no quarto trimestre com um aumento na carteira de pedidos”.

Além disso, a montadora planeja começar a fabricar em sua nova instalação em Xangai, na China, ainda em outubro. A expectativa é que, nesta planta, saiam mil veículos por semana.

E qual o segredo de tanto sucesso?

Muito se deve ao visionário e CEO da Tesla Elon Musk. Ele nasceu em Pretória, na África do Sul e desde criança já se interessava por tecnologia.

Com 12 anos criou um game de ET para computador. O jogo, desenvolvido em 1984, se chama Blastar e o objetivo é destruir um cargueiro alienígena que carrega bombas perigosas. Mais tarde, ele vendeu o código do jogo para a revista especializada PC and Office Technology, por 500 dólares.

Mas os seus exemplos de experimentações e empreendedorismo estavam só começando. Considerado um visionário, o bilionário Musk é o fundador, CEO e CTO da SpaceX, CEO da Tesla Motors e vice-presidente da OpenAI. Ainda, foi fundador e é CEO da Neuralink e co-fundador e presidente da SolarCity.

Todas as inspirações de Elon estão focadas em proteger a humanidade em vários aspectos. Ele se pronuncia preocupado com o aquecimento global e a extinção da humanidade.

Para isso, já propôs soluções, como os carros da Tesla Motors, que utilizam energias renováveis. Também produziu foguetes para explorar outros planetas. O incentivo foi pensando no custo-benefício, ao saber da economia que teria ao comprar as peças e fabricar os foguetes pela SpaceX.

É difícil falar como uma empresa pode fazer tanto sucesso, mas as especulações não param, e, além de livros sobre o Elon Musk, há um farto material produzido sobre seus princípios, hábitos e consideradas lições, com as quais qualquer pessoa pode se basear, em busca da obtenção de sucesso.

Teoria dos primeiros princípios

Para inovar, Musk usa a teoria de Aristóteles, como foi citada em uma reportagem da revista online Exame. Ao buscar os ensinamentos do filósofo grego, o bilionário utiliza a teoria dos primeiros princípios para chegar até as melhores ideias.

O CEO da Tesla teria afirmado que os primeiros princípios consistem em você olhar para as verdades mais fundamentais de uma área específica, as coisas que realmente são indiscutivelmente corretas, e racionalizar a partir daí para chegar a uma conclusão.

E se essa conclusão estiver em desacordo com o que as outras pessoas geralmente acreditam, aí você tem uma oportunidade de inovar.

Desta forma, Musk conclui  que se você quer fazer algo realmente inovador, deve aplicar os primeiros princípios e não racionalizar por analogia. Até porquê, analogias fazem referência ao passado, local que, certamente, ele não quer ficar e nunca haverá de ficar.

Acompanhe o blog Compara Plano e fique por dentro das novidades do mundo da tecnologia e do mercado de telecomunicação.