O que é reconhecimento facial? Entenda a tecnologia

É até assustador como a cada dia as tecnologias têm evoluído. Em pensar que há 5 ou 8 anos não imaginaríamos ter tantos equipamentos que facilitem nossa rotina, e com a segurança cada vez mais alta. Como exemplo, tomemos os celulares com leitor de biometria, que dão mais segurança para o dono. E, agora, temos os smartphones com reconhecimento facial.

Vamos contar tudo sobre o reconhecimento facial, desde o que é e como funciona a tipos existentes no mercado. Além disso, veja quais são os melhores celulares que possuem essa tecnologia. Confira!

Leia também: Duelo de gigantes: iPhone 11 Pro Max vs Galaxy S10 Plus

O que é reconhecimento facial?

Essa é uma nova tecnologia que chamou muita atenção quando lançaram o iPhone X. Ela é bem parecida com a biometria, mas, nesse caso, consegue reconhecer o rosto do dono do celular, e só irá permitir o desbloqueio do aparelho se for ele quem pretenda acessá-lo.

Há vários modo de reconhecimento facial, e cada um deles varia na sua eficácia. Além disso, é claro, afeta o custo do smartphone.

Fato é que seu celular fica mais seguro e protegido contra invasores, já que ele só será desbloqueado se reconhecer apenas o seu rosto. E, não foi só o iPhone que passou a vir com essa tecnologia. Desde o Android 4.0 Ice Cream Sandwich, lançado em 2011, que o reconhecimento facial vem se aprimorando, ganhando mais agilidade e precisão. 

Como funciona o reconhecimento facial?

O celular possui leitores que reconhecem traços do rosto do usuário. Podem ser distância entre os olhos, largura do nariz, formato do rosto ou do maxilar. E, quanto mais preciso for a tecnologia presente no aparelho, mais detalhes eles conseguem captar. 

Como conseguimos reconhecer as pessoas por alguns traços no rosto, usaram desse conhecimento para transmitir às máquinas um algoritmo semelhante, através de códigos binários. Isso, porque a face de uma pessoa é composta de diversas características particulares, as quais, juntas, são apenas de uma pessoa. 

Todos esses pontos são chamados de nadais, e no rosto humano existem 80 deles. A tecnologia consegue analisar a fisionomia de cada um, marcando esses pontos numa base de dados. Assim, obtemos a assinatura facial de cada indivíduo. 

Essa tecnologia também é usada em aeroportos, para reconhecimento de possíveis suspeitos. Assim, por meio das câmeras de segurança e da inteligência artificial, consegue-se localizar uma pessoa pelas suas características faciais, e ainda fazer uma variação potencial dela. Por exemplo, para o caso de a pessoa estar com a cabeça virada na foto, ou estar sorrindo demais. E, mesmo com essas pequenas diferenças, é possível localizar alguém pelo reconhecimento facial. 

O governo dos Estados Unidos foi o primeiro a utilizar essa tecnologia, e desde então ela tem se desenvolvido de forma bem acelerada. Segundo pesquisa feita pela Juniper, 9 em cada 10 smartphones já tem o reconhecimento facial. Tanto que aqui no Brasil já tem bancos que utilizam disso para reconhecer seus clientes. Afinal, você pode até esquecer a senha do cartão, mas dificilmente irá mudar de rosto.

Conheça os dois modos de reconhecimento facial.

Leia mais: Cibersegurança: saiba por que é importante proteger seus dados

Reconhecimento facial pela câmera frontal

Pela câmera frontal do smartphone, usando a tecnologia 2D é feito um mapeamento do seu rosto. Mas, nesse caso, funciona como uma foto. Então, para fazer o reconhecimento, o celular solicitará selfies de diferentes ângulos e distâncias de você. Juntando essas imagens, terá as informações dos pontos de referências – nadais -, porém sem tantos detalhes ou precisão.

Por isso, seu custo é baixo, já que não oferece tanta segurança quanto o outro modelo de que falaremos a seguir. Além disso, para funcionar 100%, você tem que estar num ambiente com condições favoráveis, como luminosidade elevada. 

Sendo assim, o ideal é usar esse modo como suporte de autenticação de outro com mais precisão, como o leitor biométrico. Você pode encontrar essa tecnologia em celulares intermediários, como o Moto G6 ou o Asus Zenfone 5.

Reconhecimento facial com mapeamento em 3D

Esse é o método mais seguro e assertivo que existe. Diferentemente do modo descrito anteriormente, esse usa um mapeamento em 3D, indicando os relevos que temos no rosto, como profundidade dos olhos ou ressalto das maçãs. Ele reconhece até 30 mil pontos diferentes na fisionomia de cada um, utilizando sensores infravermelhos, que capturam detalhes nítidos.

Por ser uma tecnologia com a qual se tem muito mais segurança para o usuário, ela é mais confiável do que o próprio leitor de íris. Sendo assim, torna-se muito mais difícil que haja invasões no seu smartphone.

Essa tecnologia está presente nos modelos mais recentes da Apple, como o iPhone X, XS e XS MAX, por meio do Face ID. Entretanto, você também pode encontrá-lo no Xiaomi Mi 8 Explorer Edition. E é possível tê-la em alguns celulares da Samsung.

Trata-se da tecnologia mais avançada em questões de segurança, pelo menos até agora. Isso, pois ela consegue identificar inclusive mudanças normais no rosto, como barba, óculos ou cabelo preso. Por isso, seu preço é mais caro, e só está presente em celulares top de linha. 

O reconhecimento facial com mapeamento em 3D consegue acertar se é a pessoa não importando o local ou a luminosidade. Até mesmo, em poses ou expressões diferentes.

Como ativar?

Android

Em celulares Android, antes de ativar o reconhecimento facial, é necessário criar uma senha de acesso. Pode ser com números, palavra-chave, aquele de ligue os pontos ou a biometria mesmo. Isso servirá para entrada alternativa, caso a tentativa de desbloqueio pelo rosto venha a falhar. 

Depois de definida essa senha de backup, entre em “configurar”, “segurança” e “smart lock”. Você deve digitar o código que escolheu, e, então, selecionar “rosto de confiança”. Clique em “configurar”, e, quando acabar de ler as instruções, vá em “próxima” e posicione seu rosto dentro da moldura. Quando um círculo verde aparecer, é porque o celular já conseguiu identificá-lo. É só tocar em “concluído” e pronto.

iOS

Para que você a consiga utilizar melhor, lembre-se de deixar o celular de 25 a 50 centímetros do seu rosto. Para configurar, acesse “ajustes” e “Face ID”. Você será cobrado da senha de acesso, seja ela biometria ou números. Depois toque em “configurar Face ID” e, segurando o iPhone na vertical, posicione o celular capturando todo seu rosto e toque em “começar”. 

Com o rosto dentro do quadro, movimente a cabeça lentamente fazendo um círculo. Caso você não consiga mover, toque em “opções de acessibilidade”. Ao terminar, clique em “continuar” e faça outra vez o círculo com a cabeça. Por fim, vá em “ok”.

Desbloqueando o smartphone com reconhecimento facial

Android

Depois de salvos todos os pontos do seu rosto, é só bloquear a tela. Agora para desbloqueá-la, você deverá usar o reconhecimento facial. Para isso, clique no botão de força e, quando a tela acender, olhe para ela por alguns segundos. No canto inferior irá aparecer o ícone de uma pessoa, o que significa que o celular está trabalhando no reconhecimento. Se der tudo certo, o ícone mudará para um cadeado aberto, e você pode usar o celular. Caso não, será necessário colocar a senha normal.

iOS

Toque ou mexa no celular para ele acender. Segure-o na vertical e olhe para a tela. Irá aparecer uma animação de um ícone de cadeado abrindo. Então, é só deslizar o dedo para cima que a tela irá ser desbloqueada.

Melhores celular com reconhecimento facial

  • Xiaomi Mi A2 Lite: esse é um celular barato e com ótimas qualidades. Possui reconhecimento facial, processador Qualcomm Snapdragin 625, com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento. Tem câmera traseira de 12 MP e 5 MP. Seu preço está na faixa dos R$800.
  • Motorola Moto Z3 Play: esse aparelho tem uma grande potência para tarefas mais pesadas, obtendo maior velocidade. Possui  processador Qualcomm Snapdragon 636 com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento. Também tem câmera traseira de 12 MP e 5 MP, e uma frontal de 8 MP, produzindo conteúdos em 4K. E, claro, com reconhecimento facial. Seu preço está na faixa dos R$1.100.
  • Samsung Galaxy Note 9: além da biometria e do reconhecimento, esse aparelho possui reconhecimento de íris. Tem tela de ótima qualidade, com processador Exynos 9810 e memória RAM de 6 GB. O armazenamento interno é de 128 GB, e possui definição QHD de cores nítidas. Câmera dupla traseira de 12 MP, com um ótima qualidade de foco. Seu preço fica em torno de R$3.300.
  • iPhone XS Max: com certeza um dos modelos mais avançados em todos os quesitos. Tem 512 GB de armazenamento, processador exclusivo da Apple, A12 Bionic, e uma alta definição na tela. Excelente qualidade nas câmeras, com qualidade na resolução tanto de vídeo, quanto de fotos. Por um aparelho tão completo, era de se esperar um preço bem alto: na faixa dos R$7.000.

Leia mais: Conheça os aplicativos de segurança da Claro

Continue acompanhando o blog Compara Plano para receber mais dicas sobre tecnologia! Publicamos conteúdo diariamente.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat