Planos de internet em SP: conexão para os coworkings

Gostando ou não do estilo de vida corporativo nos arranha-céus da maior cidade brasileira, São Paulo atrai um grande fluxo de pessoas atrás de oportunidades de emprego e crescimento profissional. E muita gente acaba optando por trabalhar em coworkings, ou escritório compartilhado. Nesse ambiente, ajuda uma boa conexão na web. Nesse post, vamos falar sobre coworkins e planos de internet em SP.

Você sabia que a capital paulista carrega o título de cidade com maior potencial inovador do Brasil? É o que aponta uma pesquisa da organização internacional Startup Genome. O estudo indica a cidade como a única representante brasileira no ranking mundial.

Foi justamente inserido no contexto de tecnologia e inovação está o surgimento, já há alguns anos, dos espaços de trabalho compartilhados. Popularizado como coworkingessa alternativa de escritório se espalhou nos grandes centros.

Confira então as tendências para o futuro dos coworkings e como a crise do coronavírus representa um desafio recente e ao mesmo tempo uma oportunidade a médio prazo para esses negócios.

Além disso, ao final você confere duas dicas valiosas de planos de internet em SP para empresas. A TIM e a Claro, por exemplo, oferecem ótimas opções.

Leia mais: Planos de internet fixa: como escolher o melhor

O futuro dos coworkings

O “boom” dos coworkings já passou. Segundo um estudo de 2019 da Coworking Resources, já são mais de 18 mil escritórios contabilizados ao redor do mundo. A previsão daqui para frente é que o crescimento em quantidade esfrie e o foco seja transferido para a qualidade dos espaços, com ambientes agradáveis e bem estruturados, com boas conexões e cada vez mais especializados.

Afinal, o número de profissionais que frequentam esses espaços e o número de empresas que compram essa ideia, esses sim, continuam crescendo.

As tendências de configuração dos coworkings serão cada vez mais ditadas pela geração Millennial e suas preocupações. Entre elas está a sustentabilidade.

Estratégias para evitar desperdícios, uso de energia sustentável, programas de incentivo ao reaproveitamento de materiais são algumas das preocupações que devem figurar nos espaços que desejam atrair esse público — que já representa a maior parte da força de trabalho no mundo atualmente.

Lucratividade dos coworkings

Os últimos anos já têm sido dourados para quem apostou nesse tipo de negócio, mas a lucratividade deve continuar aumentando. Um estudo da DeskMag de 2019 apontou que, atendendo três condições, 90% dos coworkings passam a gerar lucro.

São elas: possuir mais de 200 membros, ter pelo menos um ano de funcionamento e não subsidiar suas operações através de outros negócios. De acordo com a mesma pesquisa, de 2018 para 2019 dois terços dos espaços de trabalho compartilhados demonstraram aumento no número de membros.

Essa demanda por flexibilidade decorrente das mudanças nas formas de trabalho deve continuar crescendo.

Leia mais: 8 tendências tecnológicas que vão impactar 2020

Covid-19: um obstáculo no caminho

Apenas no Brasil, segundo um levantamento da consultoria Cushman & Wakefield divulgado pela revista Exame, já são 354 mil metros quadrados de escritórios compartilhados em todo o país. Um aumento de 568% se levarmos em conta os últimos cinco anos.

No entanto, com a proliferação do coronavírus e a pandemia da Covid-19 enfrentada pelo mundo inteiro, o período de isolamento social representa um enorme desafio para esses espaços que foram completamente esvaziados.

Adotadas à força pelas empresas, as estratégias de home office tornaram-se a nova realidade. Nessa situação, a queda nas receitas dos coworkings é imediata. Trata-se de um negócio com modelo de pagamento com base no uso do cliente. Um uso que não existe durante a quarentena.

Flexibilidade de baixo custo

Por outro lado, o médio prazo pode representar um peso no lado positivo da balança. Estudos já indicam que o isolamento intermitente poderá se fazer necessário por um tempo, até que uma vacina seja desenvolvida. Ou seja, períodos de atividades nas ruas intercalados com isolamento social.

Dentro desse cenário, os coworkings poderão se apresentar como uma alternativa ideal para as empresas: flexibilidade, contratos curtos e de baixo custo. Além disso, um relatório também da Cushman & Wakefield publicado em fevereiro demonstrou que, no Brasil, momentos de crise em 2015 e 2016 representaram um dos períodos mais favoráveis ao setor.

Leia mais: Hangouts meet: dicas para fazer videoconferências com qualidade

Planos de internet em SP: opções para empresas

Abaixo você confere dois dos principais planos para empresas ofertados pelas maiores operadoras brasileiras. Uma opção de internet fixa e um programa de telefonia móvel.

Saiba mais sobre os pacotes, seus preços e principais vantagens:

Claro

A Claro possui um catálogo amplo com diversas opções de internet fixa para empresas. São pacotes que atendem das necessidades mais básicas de pequenos negócios até aqueles com um grande volume de dados, ideais para espaços como os coworkings.

Os planos variam de 30 MB (velocidade referente ao download) por R$ 75 mensais até 600 MB a R$ 450 por mês. Todas as opções de planos de internet em SP incluem conexão sem fio, serviço de proteção digital e IP dinâmico.

O IP dinâmico é menos vulnerável a ataques virtuais, indicado principalmente para quem não precisa de acesso remoto. No entanto, a Claro também disponibiliza três planos em seu portfólio com IP fixo, ideal para negócios que possuem rede interna, servidor e câmeras de monitoramento, por exemplo. As opções são: 20 MB por R$ 150 mensais, 40 MB por R$ 170 e 140 MB por R$ 190.

A operadora também oferece o serviço adicional “Site Pronto”. Contratando um pacote que possua o programa você garante também a criação do site da sua empresa por uma equipe de profissionais de design e programação.

A modalidade oferece planos de 30 MB, 60 MB, 140 MB e 600 MB + o serviço Site Pronto, variando de preço entre R$ 113,90 e R$ 458,90 mensais.

Clique aqui mais informações sobre os pacotes empresariais e os demais planos da Claro.

TIM

No ramo da telefonia móvel, uma opção interessante entre os planos de internet em SP é o Black Empresa +, oferecido pela TIM. O pacote é válido para os DDDs 11 e 41 e conta com duas opções: a primeira, uma franquia de 15 GB por linha (duas ao todo) a R$ 84,99 mensais por linha.

A segunda opção é uma franquia de 20 GB para cada linha (três ao todo) e sai por R$ 74,99 por linha. Confira algumas vantagens do TIM Black Empresa Mais:

  • TIM Site por Uol Iniciante – Uma plataforma de criação de websites profissionais com centenas de layouts prontos para ir ao ar. É disponibilizada uma licença para o administrador do pacote;
  • E-mail profissional do UOL – Licenças de e-mail profissional disponibilizadas para administrador e usuários que já possuam um domínio;
  • Pacote Office 365 – Crie relatórios e apresentações com a navegação gratuita pelos principais apps do Pacote Office e sem desconto da franquia de internet;
  • Tim Monitor Light – Acompanhe e gerencie o uso de internet dos funcionários da sua empresa através de um painel com gráficos e outras informações;
  • Tim Radar 360 Light – Acompanhe em tempo real a localização da sua equipe e garanta mais segurança e controle para suas atividades;
  • Banca Virtual – Acesso ilimitado a mais de 100 jornais e revistas publicados no Brasil, além de um feed com uma seleção das principais notícias.

Veja aqui mais informações sobre o TIM Black Empresa + e os demais planos da TIM.

Gostou deste artigo? Fique de olho em nosso blog e não perca as publicações diárias com dicas e curiosidades sobre o mundo da tecnologia.

Você encontra todos os dias conteúdo de qualidade sobre internet, planos e pacotes de operadoras, direito do consumidor, notícias e tendências tecnológicas e muito mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *