Notebook ou tablet: qual a melhor opção para trabalhar?

Notebook ou tablet? Qual o melhor equipamento para trabalhar? Se você costuma carregar o seu notebook para lá e pra cá, provavelmente já pensou na possibilidade de trocá-lo por um tablet.  Afinal, transportar um dispositivo menor e mais compacto é bem mais prático e confortável.

Além disso, os tablets apresentam um série de aplicativos que se somam a uma interface bem interativa e, pode-se dizer, até mesmo convidativa. No entanto, ao optar por notebook ou tablet, deve-se levar em consideração a finalidade desse gadget, ou seja, o que você vai exigir dele, seja disponibilidade de bateria, processamento, espaço para armazenar arquivos e inclusive tipos de programas que irá utilizar para as suas atividades profissionais.

Para te ajudar nessa escolha, vamos citar alguns aspectos que podem ser avaliados antes de realizar a compra de um notebook ou tablet. Continue lendo esse post para conferir as nossas dicas.

Leia mais: Você já conhece o novo iPad Air, o tablet da Apple?

Notebook ou tablet: qual escolher?

Antes de ser lançado o primeiro tablet, a decisão entre notebook ou tablet era mais fácil, afinal de contas existia uma única alternativa. Agora, muito além de analisar a ficha técnica, a fim de comparar opções de um mesmo tipo de equipamento, precisamos pensar primeiro no modelo ideal para nossas demandas.

Mergulhando rapidamente na história, o primeiro grande lançamento de um tablet foi feito pela Microsoft, em 2002. Em um evento, Bill Gates apresentou o Tablet PC com Windows XP.  Logo após a divulgação, milhares de unidades foram vendidas para empresas. A novidade foi um sucesso por que trazia para o consumidor a ideia de que um tablet oferecia tudo o que um computador portátil apresentava e ainda era tátil.

No entanto, a popularização do tablet ocorreu com o lançamento do iPad pela Apple Inc. em 2010. Cinco anos depois, o CEO da Apple, Tim Cook, afirmou que muitas pessoas iriam substituir os computadores por tablets. Porém, conforme a agência Reuters apontou em uma matéria, no terceiro trimestre do ano passado, foram apenas 982 mil unidades vendidas no Brasil, ou seja, 4,4% a menos do que no mesmo período de 2017.

O fato é que, apesar dos aspectos positivos de um tablet, nem todos os softwares do tipo aplicativos, desenvolvidos para os notebooks, podem ser encontrados ou substituídos pelos apps dos tablets. Talvez esse seja, inclusive, o primeiro ponto a ser questionado. Isso, porque trocar um equipamento por outro será útil, apenas, se não houver uma perda das ferramentas básicas, ou das mais importantes para a execução das suas tarefas.

Nós temos uma lista com os melhores tablets de 2019, caso você queira saber quais são.

Como avaliar a melhor opção

Para quem é fã de tablet, tudo pode ser encantador. A leveza, o tamanho, o toque na tela, as novidades do mercado, como as canetas oferecidas para alguns modelos, e, ainda, as opções de aplicativos para trabalhar, organizar o dia a dia ou até mesmo relaxar nas horas vagas, aproveitando as diversas formas de entretenimento.

Porém, também têm aqueles usuários que não abrem mão do notebook, pois acreditam que esse equipamento é o mais completo, pelo fato de ser possível realizar todas as atividades necessárias com uma única máquina, contando com o apoio constante de um mouse e de um teclado.

Se as suas demandas profissionais ficam no meio termo, ou seja, podem ser executadas tanto com um notebook quanto com um tablet, vale a pena considerar os tópicos a seguir.

Aplicativos e ferramentas

A partir desse tópico, já é necessário avaliar o seu perfil profissional e as reais demandas provenientes do trabalho. Afinal, quais são os programas específicos que você utiliza para trabalhar? Ao utilizar um tablet, será possível substituí-los por aplicativos? Ou ainda: existe alguma versão adaptada desses programas para dispositivos móveis?

Essas perguntas podem ajudar no momento de escolher entre um notebook ou tablet. Lembre-se de que será fundamental substituir os programas convencionais, partindo do pressuposto, é claro, de que você já utilize um notebook e esteja pensando em adquirir um tablet.

Sistema operacional

É possível investir em tablets que oferecem um sistema operacional compatível com o utilizado em notebooks, como o Microsoft Windows, por exemplo.

Sendo assim, você precisa observar que, ao utilizar um iPad, por exemplo, que traz o sistema operacional iOS, é possível que nem todos os programas utilizados no Windows sejam encontrados em forma de app na Apple Store.

Portanto, adaptar um tablet do mesmo sistema operacional do seu notebook pode trazer vantagens e evitar gambiarras na hora de realizar as atividades. Sem falar do tempo de aprendizado e adaptação que será necessário em virtude da alternância entre dispositivos com diferentes plataformas.

Desempenho

O desempenho de um notebook ou tablet, certamente, depende muito de como ele é utilizado. Porém, vale lembrar que a maioria dos tablets são desenvolvidos com processadores de potência mais baixa que os notebooks, interferindo na agilidade da execução das tarefas.

É claro que existem exceções, como por exemplo o iPad Pro, portador do chip A12X Bionic. Ele é considerado um dos mais potentes no momento. Como afirma a Apple, o chip A12X Bionic processa cinco trilhões de operações por segundo e oferece desempenho gráfico até duas vezes mais rápido.

A empresa também afirma que o chip é 90% mais rápido do que os modelos de iPads anteriores e, na prática, é capaz de rodar, com muita facilidade, até os programas mais pesados.

Apesar de o notebook geralmente ser mais indicado para multitarefas ou atividades que exigem alto desempenho gráfico, no caso do iPad Pro, esse pode ser usado até para editar vídeos profissionais, aliando ainda as suas telas de alta qualidade.

Já para atividades como verificar e-mails, navegar na web e reproduzir vídeos, notebook ou tablet respondem de forma positiva, já que nenhuma dessas tarefas exige muito desempenho do dispositivo.

Armazenamento

Na maioria dos casos, o armazenamento dos tablets é menor, se comparado ao dos notebooks.

Se tomarmos como exemplo as opções de iPad da Apple, a capacidade de armazenamento oferecida atualmente começa com 32GB, chegando a 1TB no caso do iPad Pro. Claro que, o custo, neste último caso é bem alto, muito maior que os notebooks comumente utilizados.

Já os notebooks podem oferecer armazenamento expansível de até 6TB, como faz um dos modelos da Dell, o Precision 7730.

Bateria

Neste aspecto, sem dúvida, os tablets se destacam, pois é com eles que o usuário ganhará mais mobilidade e autonomia para passar umas horas a mais longe da tomada.

A vantagem existe porque os tablets são projetados para oferecer maior eficiência. O motivo são os baixos requisitos de energia de seus componentes de hardware. A maior parte do interior de um tablet é ocupada pela bateria.

Pro outro lado, a bateria de um notebook precisa dividir espaço com outros componentes internos do dispositivo. E, mesmo tendo maior capacidade de bateria, os notebooks perdem quando o quesito são horas de durabilidade.

Usabilidade e periféricos

Por fim, vamos destacar a usabilidade. Entre notebook ou tablet, você precisa avaliar se os aplicativos e ferramentas que irá utilizar precisam de um teclado convencional, mouse com precisão e também se dependem exclusivamente de uma interface do tipo touch screen para todas as interações.

Para as tarefas que envolvem ações como apontar, tocar ou arrastar para navegar em torno de um programa, escolha um tablet.

Agora, se você digita muito e não se adapta com a usabilidade oferecida pelo teclado virtual do tablet, é recomendável que use um notebook. Afinal, a maioria das pessoas não costuma digitar com rapidez ou precisão em um teclado virtual.

Por outro lado, usuários de tablets também podem adicionar um teclado Bluetooth externo para facilitar a digitação. Contudo, esse componente a mais vai interferir tanto na portabilidade do tablet – sendo um acessório a mais que você precisará carregar – quanto no custo extra pela aquisição.

Conheça os melhores teclados para celular, compatíveis também com tablets.

Ainda, sobre as entradas, os tablets costumam ter o necessário para que o aparelho seja carregado e também sejam utilizados fones de ouvido. Enquanto isso, os notebooks apresentam uma variedade maior de conectores e portas.

Inclusive, eles podem oferecer entradas como USB 3.0 e USB-C, com aberturas adicionais para leitores de cartões SD, HDMI, headphone de 3,5 mm, Ethernet, entre outras opções. Além disso, é possível conectar discos rígidos externos, controladores MIDI, Webcams, visores e outros acessórios incompatíveis com um tablet.

Conclusão

Depois de avaliar os aspectos citados, a impressão é de que alguns dispositivos podem oferecer mais do que você realmente precisa. Ou, pelo contrário: estão aquém das suas exigências.

O certo é que, para cada perfil há a necessidade de instalação de programas específicos somada à configuração do hardware mais indicado.

Sendo assim, se você procura um aparelho para escrever textos, fazer pesquisas na web, criar apresentações e reproduzir vídeos, não é necessário investir em um notebook com um processador de última geração ou com uma placa de vídeo 3D dedicada, por exemplo.

Concluindo, existe ainda uma opção no mercado que são os dispositivos 2 em 1, os quais mesclam recursos de notebooks e tablets. Nesse caso, é possível executar uma série de tarefas importantes com rapidez e facilidade, aproveitando o desempenho de um notebook aliado à tela touch screen de um tablet. Porém, em um único dispositivo.

Leia mais: Internet das Coisas: o que é e como funciona?

Gostou desse artigo? Então acompanhe os demais post do blog Compara Plano e se atualize sobre as dicas e curiosidade do mundo tecnológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat