Como será o novo normal na internet pós-pandemia?

Já parou para pensar quanto tempo do seu dia você fica conectado e navegando na internet? Se o resultado for mais horas na web do que fora dela, não se assuste. Na verdade, a pandemia do novo coronavírus transportou várias atividades antes presenciais para dentro da internet, por meio de apps e outras plataformas. São costumes que dificilmente irão embora pós-pandemia. É o novo normal.

Em outras palavras, o isolamento social forçado pelo Covid-19 obrigou as pessoas a migrarem com mais velocidade para a internet. O momento é recorrer à web para o trabalho, no caso do home-office, fazer compras online de itens essenciais, comunicar-se com a família, além do lazer, nas plataformas de streaming. Os chamados influenciadores digitais ganharam ainda mais influência!

E o que tudo indica é que esse “novo normal” vai se estender por muito tempo, mesmo pós-pandemia. Ou seja, muito do que virou hábito durante as medidas restritivas contra a aglomeração de pessoas deve seguir ocorrendo. Principalmente, em relação ao uso avançado da internet e aplicativos no campo dos negócios e pessoal.

Neste post, vamos descrever um pouco mais sobre esse panorama da internet previsto pós-pandemia e do novo normal. Nesse contexto, será primordial contar com um bom plano de internet fixa e móvel da Claro ou da TIM. Confira!

Leia também: Descubra o melhor plano de TV, internet de celular no Compara Plano

CONFIRA AS OPÇÕES DE PLANOS DA CLARO QUE MAIS DE ADAPTAM A VOCÊ!

Universo da internet vira o novo normal

Nunca se precisou tanto da internet como durante a pandemia do novo coronavírus. A web virou uma necessidade básica, algo como ar, água e alimento. Ou para poder trazer esses dois últimos à mesa. Em resumo, muitas atividades antes feitas presencialmente ou na rua foram transportadas para dentro de casa.

Para você ter uma ideia, em maio de 2006, a Organização Mundial das Nações Unidas (ONU) criou o Dia Mundial da Internet para ressaltar a importância da inclusão digital no cotidiano da população. No entanto, 14 anos depois, a relevância da web ultrapassou todos os limites.

Milhares de profissionais alteraram suas rotinas de trabalho para o home-office. Para fazer exercícios físicos agora você acessa seu app favorito com um personal trainer online. Sua aula na faculdade agora é por uma plataforma online. Os encontros de família, pelo WhatsApp. A escola do seu filho pelo Zoom.

E parece que essa segue sendo a tendência para o restante de 2020 e, definitivamente, no pós-pandemia inteiro. A imersão no universo eletrônico acelerada pela pandemia deve seguir em alta, alterando a rotina de todos em diversos aspectos.

Leia também: Saiba como entrar no Tik Tok pelo app e criar uma conta

Números comprovam uso intenso da web

A utilização em massa da internet para tudo a partir do final do março alterou a rotina da população. Também colocou à prova a infraestrutura de internet instalada no Brasil. Por enquanto, a internet tem dado conta do recado. Mas, para você ter uma ideia, segundo dados do Comitê Gestor da Internet do Brasil, o tráfego aumentou continuamente desde março.

Em 23 de março, a internet brasileira atingiu um tipo de utilização de 11 terabits por segundo. Essa marca foi alcançada também em 6 de maio. Antes da pandemia do novo coronavírus, esse número não era superior a 9 terabits por segundo. A pandemia também estendeu os períodos de utilização da web, com grande quantidade de acessos no período da tarde, e não apenas o final da noite, como ocorria antes.

Leia também:Assistir séries online: quais as melhores plataformas de streaming?

Compras pela internet vieram para ficar

O isolamento social por conta da pandemia fez das compras online uma das principais marcas do “novo normal”. De acordo com pesquisa da Consumer Sentiment Brasil, realizada pelo Boston Consulting Group (BCG), a intenção de compra pela internet no país seguirá alta nos próximos meses. Nesse caso, os maiores concorrentes das lojas online são os comércios de bairro, também valorizados por esse contexto.

Segundo os dados do levantamento, as compras pela internet são mais habitais por famílias de média e alta renda. Isso porque a população socioeconomicamente mais vulnerável ainda tem dificuldade de se adaptar e acessar os canais digitais de compras. Assim, as empresas que apostam no e-commerce também estão atentas para melhorar a experiência dos clientes nas lojas online.

Principalmente entre as classes de maior poder aquisitivo, a preocupação maior é com a preservação da saúde, evitando locais de alta incidência do vírus. Por essa razão, essa parcela da população recorre mais à web nessa hora.

No entanto, não são todos os setores que observam crescimento das vendas online. Esse movimento ocorre principalmente no setor de alimentos. Mas há forte queda, por exemplo, nas lojas de vestuário. A pesquisa mostra que farmácias, lojas de departamentos e artigos eletrônicos devem se beneficiar a médio prazo do e-commerce.

A Consumer Sentiment entrevistou 1,3 mil consumidores entre 17 e 19 de abril de 2020.

Leia também: Zoom Meet: do básico ao avançado: o que você precisa saber?

CONFIRA OS MELHORES PLANOS DA TIM PARA O SEU CELULAR

Influenciadores ganham ainda mais influência

Outro fenômeno do “novo normal” são os influenciadores digitais e suas famosas lives em redes sociais, como o Instagram. Todo mundo quer uma live para chamar de sua e atrair seguidores. Desde cantores, artistas, empresas, profissionais de várias áreas, palestrantes, crianças e até a sua tia, tem de tudo. Há até festivais de músicas consagrados já transferidos para lives nas redes sociais.

Para você ter uma ideia, de acordo com a consultoria PwC, esse movimento deve faturar no Brasil quase US$ 44 bilhões em 2021. Na verdade, a pandemia virou a chave da importância dos influenciadores digitais no processo de vendas e marketing de produtos e serviços. Eles viraram peças fundamentais nesse processo, pela credibilidade e popularidade junto aos seus seguidores.

O que ocorreu é que as pessoas recorreram mais à internet para vender seus produtos e serviços, e não apenas empresas. Com isso, qualquer pessoa pode fazer uma live ou usar as redes sociais como ferramenta de vendas. O personal trainer, por exemplo, presta seu serviço agora pela internet e mostra um pouco das suas aulas e outras atividades em lives.

Com o isolamento social por conta do Covid-19, isso aumento ainda mais. O engajamento nas redes sociais nesse período cresceu mais de 60%, segundo especialistas.

Leia também: Dicas e truques para deixar seu Instagram Stories mais interessante

Novo normal: o mundo mudou para sempre

Agora que você já conheceu um pouco mais de como será o novo normal na pós-pandemia, que tal conferir o que é streaming e como ganhar dinheiro com essa tecnologia?

Se você gostou do nosso conteúdo e quer saber mais sobre tecnologia, planos e pacotes, dicas e curiosidades, acompanhe o Compara Plano. Estamos muito satisfeitos em te ver por aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat