MacBook usado: saiba aqui se vale a pena comprar

Você sabia que comprar um MacBook usado é bem diferente de comprar um PC de segunda mão? Isso acontece porque os notebooks da Apple possuem características próprias, o que acaba criando comportamentos específicos entre os seus usuários.

Enquanto muitas pessoas que utilizam PCs precisam atualizar o hardware e o software com frequência, e muitas vezes até trocar de computador, os usuários de Macbook não se preocupam muito com as atualizações.

O motivo é que o Mac OS X, sistema operacional dos computadores da Apple, continua funcionando bem mesmo com hardwares mais antigos. Então, a primeira coisa a observar na hora de avaliar um MacBook usado é a atualização do sistema operacional. Não faz sentido realizar um investimento, mesmo em um dispositivo usado, e não aproveitar o que ele tem de melhor em termos de desempenho, funcionalidades, ferramentas, etc.

Portanto, verifique nas configurações do sistema qual é a versão que está rodando no momento e faça a atualização.

Além de atualizar o sistema, você precisará instalar os programas básicos e avançados em que tem interesse, como, por exemplo, softwares de texto e planilhas para quem precisa do dispositivo para trabalhar. Outros aplicativos e programas podem ser instalados conforme a necessidade, como softwares para edição de vídeo e som, para produção musical, etc. O segredo está em saber o que instalar e os procedimentos corretos para fazer isso.

Saiba mais: Investir em um MacBook vale a pena?

Quando comprar um MacBook usado

Quando a Apple lança um novo Macbook ou Macbook Pro, muitos applemaníacos – os fãs e usuários incondicionais da marca – trocam seu computador por um Mac novo. Esse é um bom momento para comprar um MacBook usado. No texto abaixo trazemos dicas importantes a serem consideradas antes de comprar um Macbook usado. Fique atento e saiba como realizar seu sonho de ter ou trocar seu notebook da Apple gastando menos e com mais segurança.

 

10 coisas que você precisa saber antes de comprar um MacBook usado

Comprar um MacBook exige planejamento e cautela. Custando mais que modelos de fabricantes como Dell ou Samsung, os notebooks da Apple são famosos pelos recursos e especificações, mas também chamam a atenção pelos preços. No Brasil, o modelo mais barato é vendido nas lojas por valores a partir de R$7,5 mil. E os mais caros podem custar o equivalente a um carro zero.

Portanto, se você nunca usou um dispositivo da Apple antes, a primeira coisa que precisa lembrar antes de comprar um MacBook usado é que existe um antigo debate entre os usuários de PC e Mac. E embora ambos possuam seguidores apaixonados, as diferenças entre os dois tipos de computador diminuíram bastante nos últimos anos. O resultado é que optar entre um e outro passou a ser menos uma questão de hardware e software e mais de estilo e gosto pessoal.

 

  1. Mac ou PC

Ao comprar um Mac, você está comprando tanto uma filosofia quanto uma tecnologia de computação. A mesma empresa produz o hardware e o software, e os computadores têm a mesma sensibilidade estética que os telefones e tablets da Apple.

O Mac oferece apenas seis estilos de computador, com poucas opções de configuração. Se você não gosta de decidir acerca de RAM, espaço em disco e outros componentes de hardware, o Mac faz grande parte do trabalho para você.

Quanto aos PCs, cerca de uma dúzia de grandes fabricantes produz os hardwares, e a maioria deles roda o sistema operacional Windows. Você pode ter centenas de opções de estilo e de configurações, o que permite obter exatamente o que você deseja, embora isso possa demandar mais tempo e ponderação.

Em resumo: antes de sair comprando um MacBook usado só porque ele está saindo por um bom preço, avalie seu perfil e suas necessidades. Em seguida, faça o check list abaixo.

 

  1. Ano de fabricação e de compra do MacBook usado

Ao ver um anúncio de MacBook usado, descubra seu ano de fabricação. Ele dá uma ideia do possível tempo de uso da máquina e aponta o prazo restante para que o produto seja considerado obsoleto. Além disso, permite saber se o notebook está em listas de recall.

A data pode ser conferida no sistema, por meio do menu “Sobre este Mac”, ou na Internet, por meio do número de série.

O ano em que o MacBook foi comprado não mostra, necessariamente, se um computador está ou não em bom estado de conservação, mas ajuda a confirmar seu tempo de uso e saber se a garantia ainda vale.

A data de compra pode ser consultada no documento fiscal emitido pela loja, seja na Apple ou em uma revendedora terceirizada. A Nota Fiscal pode estar impressa ou disponível eletronicamente no e-mail do dono original.

 

  1. Carregador original

Um carregador pirata pode trazer grandes problemas para um equipamento da Apple. Verifique se o cabo traz as inscrições da empresa no acabamento e certifique-se de que não haja emendas que podem colocar a bateria e o aparelho todo em risco.

Se o acessório não estiver em bom estado, pode ser mais vantajoso procurar outro computador para comprar, já que um carregador novo na Apple custa entre R$349 e R$549, dependendo do modelo.

 

  1. Ciclos da bateria

Um dos dados que melhor indicam o estado de conservação de um MacBook é a contagem de ciclos de bateria. A informação mostra exatamente a expectativa de vida útil do componente e aponta se um MacBook comprado recentemente já foi usado demais, ou se um produto comprado há mais tempo foi pouco usado.

No próprio sistema, verifique os ciclos de vida de bateria do dispositivo. Para tal, aperte a tecla “Option” e mantenha-a pressionada, clicando na sequência no menu “Apple”. Depois, clique em “Informações do Sistema” e “Alimentação”.

MacBooks fabricados a partir de 2010 têm bateria que dura 1.000 ciclos antes de precisar ser substituída. No caso do MacBook Pro, a medida também vale para modelos de 15 polegadas a partir de meados de 2009 e de 17 polegadas produzidos do início de 2009 para cá.

 

  1. Fotos reais

Peça sempre fotos reais – de preferência, feitas na hora – para comprovar a autenticidade do produto. A estratégia é eficaz para driblar vendedores que tentam enganar consumidores usando imagens roubadas de outros anúncios.

Peça uma garantia de que a foto é recente e busque amassados na carcaça, rachaduras na tela ou outras marcas físicas que indicam possíveis quedas (laptops que já caíram podem esconder danos internos irreversíveis, dependendo do acidente).

 

  1. Garantia

A data de compra não é a única forma de descobrir se um MacBook ainda está na garantia. Mesmo que o primeiro dono não informe o dado – seja por ter perdido a NF ou por não se lembrar –, a Apple tem uma ferramenta de consulta online que pode ajudar.

Peça o número de série do Mac e consulte na página de suporte (https://checkcoverage.apple.com/br/pt) se o computador ainda tem alguma cobertura.

 

  1. Inicialize o sistema

MacBooks com defeito podem ter o MacOS instalado, porém corrompido. Na hora de comprar um produto usado, um dos primeiros testes deve ser ligar o computador e inicializar o sistema por completo, até que seja exibida a mesa (desktop).

Se o software não iniciar corretamente, é possível tentar reinstalá-lo pela Internet ou por meio de um HD externo.

 

  1. MacOS

Opte por MacBooks com MacOS mais recente, tal como o Mac OS Catalina. Quanto mais atualizado estiver o sistema, mais chances o computador tem de ser novo e de não ter apresentado bugs durante o processo de atualização.

A versão do macOS pode ser consultada no menu “Sobre este Mac”.

 

  1. Teclado e trackpad

Cheque as teclas uma por uma. Abra um documento para saber se não há nada emperrado e use o teclado virtual do sistema para ver se teclas modificadoras estão funcionando.

Aproveite também para ver se o trackpad está em bom estado e se não há rachaduras. O trackpad de alta qualidade é uma das assinaturas do MacBook, portanto suspeite se o cursor não se mover com a suavidade esperada.

 

  1. Tela

Sempre que possível, faça uma negociação presencial e teste alguns aspectos de hardware do MacBook.

Comece buscando pixels mortos na tela: abra uma imagem totalmente branca em tela cheia e verifique se há pontos apagados. É normal que um pixel ou outro não acenda depois de alguns anos de uso, mas é importante ficar atento caso haja grupos de pontos cegos, pois eles podem indicar algum problema em marcha no display.

 

Vale a pena comprar um MacBook usado?

Em resumo, os MacBooks têm características que os tornam uma boa opção para quem busca um notebook usado. Embora os produtos de segunda mão da Apple tenham preços elevados, eles são conhecidos pela sua durabilidade e por rodarem durante um longo tempo em pleno estado de funcionamento.

Além disso, os computadores da marca trazem um sistema operacional que continua recebendo atualizações por bastante tempo. Um MacBook Pro de 2015, por exemplo, pode ser encontrado por preços entre R$3 mil e R$5 mil, enquanto o modelo mais recente está à venda por preços a partir de R$11 mil no site oficial da loja.

No entanto, assim como qualquer compra de usados, é importante ter atenção redobrada à procedência do produto, checar se o vendedor tem nota fiscal e fazer uma série de procedimentos simples que diminuem as chances de dor de cabeça no futuro.

Leia mais: Conheça tecnologias para deixar a sua casa inteligente

Gosta de estar por dentro de todas as novidades do mundo da tecnologia? Acompanhe o nosso blog e fique bem informado!

macbook usado