Golpe do link falso no Whatsapp: veja como funciona

A maioria dos golpes que roubam dados pessoais acontecem por um simples clique dos usuários em links falsos do WhatsApp, você sabia?

A facilidade de cair neste tipo de armadilha ficou ainda mais evidente com a recente divulgação de que o aplicativo possui uma falha grave no seu sistema de segurança.

Veja neste artigo como não cair no golpe do link falso pelo aplicativo mais popular de conversação no Brasil.

O que é um link falso no Whatsapp?

Em 2018, um golpe com link de uma promoção falsa usando o nome da perfumaria O Boticário atingiu milhares de usuários no Whatsapp. A falsa campanha pedia para que os usuários do aplicativo clicassem em um link. Dessa forma, eles eram direcionados para uma página falsa de internet.

Ao entrar na página, a vítima era induzida a confirmar seus dados para receber brindes, como o perfume Lily da empresa, por exemplo. Confirmando, o usuário se deparava com mensagens de premiação de que havia sido presenteado com o perfume e, simultaneamente, era induzido a uma outra mensagem de verificação de disponibilidade. Com isso, os seus dados eram roubados e seu celular infectado por malwares.

Em janeiro de 2019, a empresa voltou a ter seu nome envolvido em links falsos pela internet compartilhados via WhatsApp. As promoções eram de perfumes, como também de outros itens de brindes d’O Boticário, como batom, lápis para os olhos e máscara para cílios da coleção Make B. Quem acaba compartilhando é o próprio usuário que já foi vítima da possível fraude, de forma espontânea ou devido aos vírus instalados com a aceitação da pegadinha virtual.

Em maio do mesmo ano, outras mensagens fraudulentas circularam atraindo muitas vítimas com as frases “Brinde Surpresa”, “Kit Linda Grátis” e “100% Grátis Malbec ou Florata”. As promoções costumam aparecer em em datas comemorativas – neste caso, aconteceu em alusão ao Dia da Mulheres – já que são épocas escolhidas pelas diversas marcas fazer promoções de seus produtos.

Com mensagens tão atrativas fica difícil não cair em engano. Apesar do perigo constante e da fácil proliferação dessas mensagens falsas, ainda assim, é possível diferenciar uma promoção verdadeira de uma falsa. Veja como nas dicas abaixo.

Como descobrir se está caindo em um golpe do link falso no Whatsapp?

Assim como a empresa O Boticário, inúmeras corporativas também passam pelo mesmo problema. Mas é fácil identificar quando o link repassado no Whatsapp é falso. Principalmente, quando se trata de compartilhamento de promoções.

A maioria das empresas disponibilizam suas promoções na sua própria plataforma de internet e direcionam o compartilhamento via WhatsApp em últimos casos. O Boticário, por exemplo, envia a promoção por e-mail, após outro usuário ser contemplado no site e indicar os próximos premiados. As promoções são de amostras, novos produtos em lançamento, e é muito raro serem distribuídas ofertas de perfumes com alta escala de venda.

Para não cair nesses golpes é essencial que o usuário tome medidas de segurança. Checar sempre se o link é verdadeiro é o primeiro passo a ser feito. Vá atrás do site da promoção e veja se a divulgação também está acontecendo pelo site da corporativa.

Desconfie de promoções com preço muito fora da realidade

Fique atento a promessas muito vantajosas ou que apresentem preços muito abaixo do valor original dos produtos. Anúncios exageradamente lucrativos provavelmente são golpes e pelo celular ele fica mais fácil de alcançar vítimas.

No WhatsApp então, os cibercriminosos aproveitam para iludir usuários em grupos e pelo compartilhamento imediato. Um jeito prático de descobrir se está caindo na armadilha do link falso no Whatsapp é conferir sua veracidade no site da dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe. De acordo com a empresa, só em 2018, 60,4 milhões de usuários Android foram potencialmente vítimas de links maliciosos no país.

Os links enviados por WhatsApp são das mais variadas promoções. Pode ser um aviso para sacar seu FGTS — o último envolvendo o benefício, após o usuário ser direcionado a uma página de internet falsa, exigia o compartilhamento do link a 10 amigos do participante no WhatsApp.

Ainda o site contava com comentários falsos de pessoas que teriam conseguido sacar o FGTS para parecer mais fiel ao site da Caixa Econômica Federal. O golpe do link falso do FGTS obteve 100 mil vítimas que receberam, acessaram ou compartilharam o link que assegurava o saque.

Fique alerta

Se receber essas promoções pelo WhatsApp, fique alerta. Qualquer um pode ser vítima de promoções fantasiosas. Os golpes no aplicativo vem se inovando a cado ano. Além disso, as suas plataformas para roubar dados são cada vez mais parecidas com sites verdadeiros. Links maliciosos já fizeram milhões de vítimas não só no Brasil, como também ao redor do mundo.

Além das promoções que já citamos, você pode sofrer com links falsos de memes, correntes e também fake news, estas que foram comuns no período de eleição 2018.

Para saber como não cair em Fake News, clique aqui.

Assim como é fácil cair em uma armadilha de cibercriminosos, também é descomplicado evitá-la. Basta seguir nossas dicas.

 

Como se livrar de links maliciosos no Whatsapp

Evitar o recebimento de links falsos no Whatsapp não é algo fácil porque isso vai depender também com quem você interage na rede. Se essa pessoa foi vítima de fraude tem bastante probabilidade que ela compartilhe sem querer com os seus amigos no aplicativo.

Mesmo com o perigo de receber mensagens desse tipo, você pode se precaver de outras formas, como usando um bom antivírus em seu celular ou duvidando sempre do que recebe.

11 dicas para você não cair em armadilhas

1 –  Primeiramente, desconfie de mensagens com erros ortográficos ou gramaticais. Não confie em mensagens com tom de comando como “clique na promoção e obtenha esta vantagem’”.

2 – Desconfie de mensagens que solicitam seus dados cadastrais a todo o custo. Como por exemplo quando pedem número de cartão de crédito, conta bancária, data de aniversário, senha etc.

3 – Se a promoção pede para que você a compartilhe a um grande números de usuários, desconfie. Evite repassá-la.

4 – Desconfie de sites com URLs em formato curto e com nomes editados. Golpes direcionam os usuários para sites falsos com o preenchimento de formulário malicioso. Mensagens que contêm links encurtados costumam levar o usuário a réplicas de sites bem parecidos com o original. Geralmente eles direcionam para descontos, vouchers e serviços premium de graça.

5 – Cuidado com as correntes via WhatsApp. Nenhuma empresa vai pedir para você enviar para muitos usuários ou pedir depósito de dinheiro para você receber um brinde. Com a opção que aparece agora quando a mensagem é um compartilhamento, fica mais fácil saber se é uma corrente.

6 – Os criminosos costumam criar promoções, correntes ou notícias falsas com frases vantajosas e sensacionalistas. Não clique em mensagens com essas características. Não acredite nos famosos conteúdos “bom demais para ser verdade”.

7 – Investigue o site da empresa antes de clicar no link da promoção. Veja se a promoção é realmente verdadeira. Se for, participe pelo site oficial da empresa, é mais confiável.

8 –  Instale um bom antivírus em seu celular. Pode ser que ele não consiga evitar todas as ameaças. Mas um bom antivírus pode ser uma solução para investigar URLs maliciosas já cadastradas no seu banco de ameaças.

9 – Duvidar é a melhor solução para não cair em engano em links falsos no WhatsApp. Analise tudo o que receber.

10 – Por fim, mas não menos importante, faça uma pesquisa minuciosa pela internet. As principais notícias de golpes estão nos trends topics da rede social Twitter e também da famosa plataforma Google.

11- Desconfie de mensagens encaminhadas.

Em um artigo anterior explicamos como esses trends topics facilitam também na hora de descobrir sobre a queda do WhatsApp. Ficou curioso? Veja o conteúdo aqui.

Gostou das nossas dicas? Fique atento ao que compartilhamos em nosso blog. Aqui você encontra a resolução das mais variadas dúvidas do mundo tecnológico.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *