Melhores filmes de guerra inspirados em histórias reais

Se os filmes de guerra já garantem uma boa dose de ação e adrenalina, quando a trama é inspirada em histórias reais é praticamente impossível de controlar a emoção. Ainda que o cinema seja palco de lindas cenas de amor, comédia e pura arte, o drama de um conflito com batalhas também agrada o público e pode gerar belas reflexões e lições sobre a vida.

Nós do Compara Plano preparamos uma lista com os melhores filmes de guerra que contam histórias inspiradoras, de superação, e com alguma beleza em meio ao devastador cenário de conflitos bélicos. Confira!

Leia mais12 filmes sobre acessibilidade e inclusão para incluir na sua lista

A Lista de Schindler (1993) – um clássico entre os filmes de guerra

O primeiro da lista de filmes de guerra é um clássico daqueles imperdíveis para qualquer pessoa que ama cinema. Se você ainda não assistiu, sente-se agora e assista. A Lista de Schindler é uma obra-prima do diretor Steven Spielberg, com Liam Neeson como ator principal.

Vencedor de sete Oscars e três Globos de Ouro, a produção de 1993 conta a história real de um empresário alemão que salvou a vida de mais de mil judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

O personagem principal, Oskar Schindler, tem forte influência dentro do partido nazista e consegue autorização para abrir uma fábrica que contratará mão de obra judia como uma saída barata e lucrativa.

A atitude, no entanto, se transforma em uma grande oportunidade de ajudar milhares de pessoas que estavam sendo exterminadas pela política de extermínio de Adolf Hitler.

O longa-metragem tem 3 horas e 17 minutos de uma história envolvente e emocionante que vale cada minuto em frente à tela.

A Queda! As Últimas Horas de Hitler (2004)

Quando se fala em guerra, é impossível não pensar em Hitler, no Nazismo e na dolorosa história de milhões de judeus que sofreram violência durante a Segunda Guerra Mundial. Ainda que já exista tanto material cinematográfico e literário sobre esse período da história mundial, o tema é inesgotável.

A Queda! As Últimas Horas de Hitler, no entanto, é um desses filmes de guerra que apresenta uma abordagem completamente nova e diferente ao inspirar-se nas lembranças e histórias reais contadas pela última secretária pessoal do líder alemão, Traudl Junge.

Como base para o roteiro, além das memórias de Junge, publicadas em livro, foram usados documentos históricos e relatos de outras pessoas que estiveram envolvidas nos fatos comentados.

O filme é uma produção conjunta alemã, italiana e austríaca. Em quase 3 horas, narra os últimos dias do ditador até o momento do seu suicídio dentro do bunker a partir do qual comandou o governo. A história começa quando a Alemanha está prestes a perder a guerra para os Estados Unidos, durante a Batalha de Berlim.

Sabemos que Hitler é um dos personagens mais conhecidos da história. Entretanto, nessa montagem cinematográfica ele aparece com diversas facetas nas quais é possível ver seu lado mais humano. Ainda que seu perfil siga sendo sádico, como já é esperado, a visão da sua secretária particular apresenta traços da personalidade do líder e estrategista que virou um ícone da última grande guerra.

Alemanha Ano Zero (1948) – entre os filmes de guerra mais icônicos do cinema

Ainda seguindo com o tema Segunda Guerra Mundial, é quase impossível não citar uma das produções mais importantes do cinema.

Alemanha Ano Zero conta a história do país pós-guerra através da dramática visão de uma criança que vaga pela cidade enfrentando as consequências devastadoras de uma batalha que marcou para sempre a vida de milhões de pessoas de inúmeras nacionalidades.

O filme de guerra de Roberto Rossellini é parte de uma trilogia que conta ainda com Roma, Cidade Aberta de 1945 e Paisa, de 1946. Juntas, essas três produções clássicas formam um grande registro artístico e histórico do período. Então, um must-watch!

Até o último homem (2016) – um herói em filmes de guerra

Com direção do renomado Mel Gibson, essa produção de 2016 conta a emocionante história de um herói de guerra que se negou a tocar em armas mesmo enquanto estava no campo de batalha.

O personagem principal, Desmond T. Doss, interpretado pelo ator Andrew Garfield, é um médico americano que se nega a lutar devido a sua religião. Membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia, o profissional usa toda a sua força e valentia para ajudar a salvar dezenas de vidas enquanto arrisca a sua própria no front de batalha.

Esse é mais um filme que está ambientado na Segunda Guerra Mundial. Entretanto, foge do tema nazismo, e, em 2 horas e 20 minutos, mostra a luta do exército do outro lado da batalha.

Beasts of No Nation (2015) – filmes de guerra inovadores

Esse drama de tirar o fôlego é inspirado no livro homônimo que conta parte da história de Agu (Abraham Attah). O menino africano é tirado da sua família para lutar com mercenários na guerrilha, e tem sua vida transformada para sempre.

O personagem representa a vida de milhares de crianças que são usadas como soldados na guerra civil de países africanos como Uganda, Serra Leoa e Nigéria. A produção está na lista de filmes de guerra que exigem estômago forte, mas vale a pena cada minuto de tensão das suas 2 horas e 17 minutos.

Os conflitos armados africanos não são temas muito comuns no cinema. Além de abordar um assunto não muito explorado, esse longa produzido pela Netflix mostra a realidade dolorosa de infâncias roubadas pela crueldade da guerra e da violência local. Então, se prepare!

Invencível (2014) – uma história de superação

Invencível uniu a direção da estrela Angelina Jolie a uma experiência real que não tinha qualquer chance de não ser sucesso. A produção conta a incrível história do atleta olímpico Louis Zamperini, que caiu do mar em um acidente de avião e virou prisioneiro de guerra.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Zamperini ficou naufragado no mar durante 47 dias. Após sobreviver em uma balsa perdido no meio do oceano e, finalmente, conseguir chegar a terra firma, é capturado por um exército japonês.

Ainda que não fosse necessário uma grande produção para dar ainda mais brilho a essa história. E o filme é muito bem feito. Portanto, realmente vale a pena.

Guerra ao Terror (2008) – a visão dos soldados

O roteiro de Guerra ao Terror foi escrito por um jornalista ex-correspondente da Guerra do Iraque. Mark Boal conta a história dos soldados americanos que estiveram no campo de batalha e exalta as suas experiências.

A trama narra a história de três americanos que integram o esquadrão antibombas em missão no Iraque. Vários conflitos são vividos no front de guerra e dentro da própria equipe. Enquanto os dias vão passando, os soldados vão percebendo que cada dia de trabalho no campo pode representar seu último dia de vida.

O filme também termina fazendo uma crítica ao governo que enviou esses jovens soldados ao Iraque. O cenário é claramente o conflito entre dois estados. Entretanto, a diretora Kathryn Bigelow coloca toda a luz da produção na pressão psicológica sofrida por esses jovens. Esses conheceram pela primeira vez a realidade da guerra.

Querendo mais referências? Veja neste outro artigo quais são os melhores filmes originais Netflix. Assim, não perde as melhores produções de uma das maiores plataformas de streaming do mundo.

Se você quiser estar sempre por dentro do que anda acontecendo no mundo da tecnologia e dos streamings, então não perca os outros conteúdos exclusivos do nosso blog, pois publicamos diariamente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat