6 dicas para proteger a privacidade dos dados na internet

Os benefícios que a internet trouxe para a sociedade e para a vida das pessoas são indiscutíveis. Bilhões de dispositivos estão conectados e fazem uso da rede diariamente. Mas, será que você já parou para pensar que entre os dados na internet estão os seus dados pessoais?

Assim como há o lado positivo, também existem aspectos negativos dessa expansão tecnológica. Em algum lugar, na verdade em vários lugares, existem diversas informações relacionadas à sua pessoa, formando um perfil. Esse perfil é cheio de detalhes, combinando pesquisas virtuais, localização real e até dados bancários. Por isso, hoje se fala tanto em privacidade e em medidas legais para controlar a coleta e o uso dessas informações.

Então, veja a partir de agora dicas para proteger seus dados na internet.

Leia mais: Cibersegurança: saiba por que é importante proteger seus dados

O que são dados?

Um dado é um registro. Tudo o que se faz na internet gera pequenos registros, ou seja, qualquer ação de um usuário cria dados sobre a própria ação.

As redes sociais, os sites visitados, as pesquisas realizadas, as compras feitas, etc – tudo isso cria dados na internet. Esses dados, quando combinados e comparados, podem trazer significados maiores do que podemos imaginar. São informações elaboradas, detalhadas e complexas, que dizem muito sobre a vida do usuário.

E o que é privacidade?

De acordo com a definição básica do dicionário, privacidade é a condição do que é privado, pessoal ou íntimo. Quando falamos sobre privacidade online, falamos sobre o nível de controle alguém pode ter sobre seus próprios dados na internet.

Por que preciso de privacidade?

Imagine que um estranho começasse a fazer perguntas pessoais sobre aspectos da sua vida. Será que você responderia? Talvez você até falasse algo sobre o modelo do carro, se está em um relacionamento ou quantos filhos tem. Mas, e se as perguntas começassem a ir um pouco além disso? Seu nome completo, agência bancária, endereço residencial completo, onde faz compras, quais restaurantes frequenta, os lugares onde você passou nos últimos dias, a escola dos filhos, entre outras coisas. Será que você continuaria respondendo?

Um artigo na revista The Economist afirmou que os dados são o novo petróleo. Conhecer os dados de uma pessoa ajuda a prever comportamentos futuros e, pior, ajuda a controlar esses comportamentos. Em 2016, por exemplo, as eleições dos Estados Unidos foram influenciadas pelo uso de dados na internet. Uma empresa tirou proveito dos dados para manipular o tipo de notícia que as pessoas receberiam nas redes sociais, tentando moldar o posicionamento político e definir votos.

Em uma esfera mais pessoal, empresas fazem propagandas direcionadas baseadas no seu perfil. Sim, todos nós temos perfis online criados com as informações que os aplicativos e os sites que usamos recolhem. Baseando-se nisso, são capazes de oferecer produtos dos quais somos mais inclinados a gostar. E comprar, claro!

Ou seja, nossos dados na internet revelam aspectos da nossa vida que ajudam empresas a nos manipular.

Como proteger seus dados na internet?

Com base nessa situação, muitas pessoas pensam em proteção. Proteger suas informações, sua segurança digital, sua privacidade e seus dados na internet: Será que isso é possível?

Preparamos essa lista com 6 dicas para você:

1 – Atenção com suas publicações em redes sociais

Tudo o que você posta é informação gratuita para o mundo. Quase sempre é possível tirar alguma conclusão com base em aspectos da sua postagem que você nem imagina. Por isso, é importante tomar alguns cuidados específicos:

Localização

Pode parecer bobagem, mas às vezes é possível saber onde você está só por uma foto de paisagem. Não é tão difícil para quem é familiar com uma reconhecer construções ou pontos em uma paisagem.

Às vezes até mesmo fotos em ambientes internos podem ter algum aspecto revelador sobre o lugar onde você está. E, muitas vezes, o lugar frequentado leva para a próxima preocupação.

Situação financeira

Não revele informações sobre a sua vida financeira. Muitas vezes acabamos fazendo isso sem nem pensar, mas outras pessoas podem estar avaliando fotos e tirando conclusões. Um detalhe no fundo de uma foto que identifique um restaurante chique é um bom exemplo disso. Ou uma foto tirada do seu filho brincando no banco de um carro importado.

O que para algumas pessoas pode ser só um registro bonitinho, para outras pode ser um indicador de status.

Fotos e vídeos

Preste muita atenção com as fotos e os vídeos que você publica. Além da sua classe social, eles podem revelar, por exemplo, onde você trabalha ou onde seus filhos estudam.

Essas informações podem ser de conhecimento da família, mas, nas mãos de estranhos, podem ser um perigo.

Perfil fechado

Se você não depende de redes sociais para ganhar dinheiro, talvez não compense ter um perfil aberto. Quem precisar encontrar você, vai acabar te encontrando mesmo com o perfil fechado. E, assim, você não precisa se preocupar tanto, pois só terá acesso a ele quem for autorizado.

Porém, não se esqueça: se seu perfil era público, você pode precisar fazer uma limpa e excluir algumas pessoas que começaram a seguir você na época em que o perfil era público.

2 – Troque suas senhas

Trocar senhas frequentemente é um bom jeito de se proteger na internet. As dicas para uma boa senha são:

  • Senhas complexas – Use números e caracteres especiais junto com letras maiúsculas e minúsculas.
  • Senhas longas – Além de variados, é importante que sua senha tenha muitos caracteres. Quanto mais longa ela for, mais difícil de ser descoberta.
  • Senhas diferentes – Configure senhas diferentes para cada email, site ou rede social que utilizar. Dessa forma, caso uma senha sua seja descoberta, as outras não correrão risco.

As senhas não precisam necessariamente ser códigos difíceis de lembrar de cabeça para serem boas. Formar frases que usem caracteres pode ser um bom jeito de fazer uma senha.

A senha Amo-a-#Fifi-desde-2013, por exemplo, é difícil de ser hackeada. Além disso, pode ser uma bela homenagem a um bichinho de estimação e superfácil de lembrar.

3 – Cuidado com sites que coletam dados na internet

Existem sites com scripts maliciosos para roubar informações de quem os acessa. Esses sites normalmente trazem notícias com títulos sensacionalistas, envolvendo fofocas, escândalos ou tragédias.

Além de avaliar quem enviou, é importante conferir no nome do site (pelo link) se é um portal confiável.

Sites com muitos anúncios e banners dizendo que você foi premiado e que precisa clicar aqui ou ali também devem ser evitados. Assim como sites que pedem pra você baixar ou instalar alguma coisa para poder continuar navegando.

Outro perigo são sites que pedem cadastros muito extensos. Será que aquele site realmente precisa do seu CPF e de uma foto de perfil? Qual a necessidade de colocar seu perfil nas redes sociais em um site onde você só quer pedir uma pizza?

Avalie se o tipo de informação que o site pede faz sentido pro tipo de serviço que ele presta antes de preencher os campos.

Leia também: E-book grátis: como ganhar dinheiro com as redes sociais.

4 – Não acredite em tudo o que lê

É muito fácil inserir informações na internet. Ao mesmo tempo em que isso é bom, traz junto um lado negativo muito forte. Fica cada vez mais simples inventar algum hoax (boato) ou espalhar fake news (notícias falsas).

Esses sites são, desde a sua concepção, feitos de forma maliciosa. Para quem já está divulgando uma mentira, tentar infectar seu dispositivo ou roubar seus dados são apenas mais um detalhe. Quando receber um link de alguém, desconfie. Leia o título e pesquise por termos parecidos em portais ou sites em que você confia.

O envio de emails ou SMS falsos também é muito comum. Os golpes mais comuns são aqueles que tentam se passar por banco para coletar seus dados financeiros.

5 – Cuidados com seu computador

Preparamos uma listinha bem simples de cuidados com seu computador que podem ajudar muito:

  • Atualize sempre seu sistema operacional;
  • Use navegadores confiáveis;
  • Mantenha seu firewall sempre ativo;
  • Tenha um antivírus instalado;
  • Cuidado com downloads, principalmente os executáveis (.exe);
  • Não baixe pirataria.

Sabemos que essa última dica nem sempre é respeitada. Muita gente baixa filmes, jogos, softwares e seriados todos os dias. Essa atividade, além de ilegal em muitos países, é extremamente perigosa para seus dados.

Muitas vezes os hackers conseguem esconder um vírus junto com os arquivos que você está tentando piratear. O que acontece? Você baixa, instala e usa perfeitamente o que pirateou, sem saber que junto com isso tem alguém acessando seus dados.

6 – Cuidado com tudo o que for público

Já ouviu a expressão “nada é de graça”? Então, parta desse princípio antes de usar redes públicas. Muitas vezes estamos fora de casa e o sinal do celular não está bom, ou simplesmente queremos economizar dados. Nessas horas começa a busca por uma rede wi-fi aberta (sem senha), e é aí que mora o perigo.

Seja em rodoviárias ou aeroportos, em restaurantes, cafés ou bares, sempre desconfie. Fale com funcionários do respectivo local para confirmar que aquela é realmente a rede deles. Hoje em dia é muito fácil pra qualquer um criar uma rede wi-fi, e você pode acabar conectando o seu aparelho a uma rede maliciosa sem perceber. Assim, enquanto você usa a internet, eles acessam seus dados.

E agora?

Agora é a sua vez de agir. Atualize seus dispositivos, mande esse texto para seus amigos e mude seus hábitos digitais. Proteger-se é importante para você e para a sociedade.

Leia mais: Veja planos da Claro, a melhor internet do Brasil, segundo o Speed Test Awards.

Esperamos que tenha gostado dessas informações. Para mais conteúdo de qualidade, continue acompanhando nosso site!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Contrate via chat