Celular com 32GB, 64GB ou 128 GB: vale a pena pagar a mais por armazenamento?

A quantidade de memória de um celular é um dos critérios essenciais a serem avaliados ao comprar um novo aparelho. Isso porque os aplicativos, fotos, vídeos, jogos e outras ferramentas ocupam cada vez mais espaço. Por isso, as empresas oferecem diferentes modelos de celular com 32GB, 64GB ou 128GB. Existem ainda aparelhos especiais (e muito mais caros) com 256GB e 512GB.

Porém, será que adquirir um aparelho com maior quantidade de memória e por um valor mais elevado, realmente vale a pena? Abordamos a questão a seguir, indicando ainda em que casos pode ser recomendável ter maior quantidade de memória para armazenamento. Confira!

Celular 32GB, 64GB ou 128GB: a importância da memória interna nos aparelhos

Escolher um celular não é uma tarefa fácil. Com a grande quantidade de aparelhos, marcas e configurações disponíveis no mercado, a definição do modelo ideal pode ser um verdadeiro desafio. Ainda mais quando se trata de memória de celular. Embora muitas lojas e empresas ainda trabalhem com modelos com 8GB e 16GB, hoje é quase impensável adquirir um celular eficiente com menos de 32GB.

Pois mesmo que o aparelho possua capacidade para expansão de memória, comprar um aparelho com menos de 32GB pode gerar mais inconvenientes e estresse do que comprar um modelo avançado.

Isso porque a falta de memória pode afetar o funcionamento do celular, gerando travamentos e ainda o bloqueio de algumas funções, como por exemplo, ao fazer uma foto ou baixar um aplicativo de emergência.

Além disso, vale lembrar que alguns aparelhos como os da Apple não permitem a expansão com o uso de chips de memória. Ou seja, é preciso comprar um aparelho com uma boa capacidade de memória para funcionar bem a médio e longo prazo.

Em outras palavras, o “barato pode sair caro” quando se trata de memória de celular. Com os novos recursos, aplicativos e jogos é essencial contar com um bom espaço de armazenamento. Por mais que o aparelho possa ter um valor mais alto.

Mas afinal, de quanta memória um bom celular precisa?

De modo objetivo, a quantidade de memória ideal dependerá das necessidades e modo de uso do aparelho para cada pessoa.

Por exemplo, se o usuário utiliza apenas a câmera do celular, pode optar por armazenar os arquivos de vídeo e imagem nos serviços de cloud do Google ou da Apple. Dessa forma, não ocupará tanto a memória do aparelho e poderá optar por um modelo de celular com 32GB.

Já se o usuário utiliza muitos aplicativos e recursos do celular, e está sempre buscando novos serviços para o aparelho, deverá considerar aparelhos com mais de 32GB. Pois, além do volume original de cada aplicação, as ferramentas instaladas são atualizadas constantemente, ampliando a necessidade de armazenamento interno a médio e longo prazo.

Multimídia

No caso das pessoas que utilizam os aparelhos para baixar jogos, filmes e músicas, é necessário ainda mais espaço, como 64GB, que acaba sendo um dos modelos mais caros do mercado. Contudo, sem uma capacidade de memória adequada, o celular tende a ficar lento e limitado.

Para os profissionais que utilizam o aparelho para produção de conteúdos em vídeo, áudio e fotografia, é fundamental contar com uma quantidade maior de armazenamento, com 128GB ou mais. Pois mesmo utilizando os serviços de cloud para armazenar os arquivos, os aplicativos de edição para celular ocupam muito espaço.

O fato é que, quanto mais funcionalidades um celular tiver, mais espaço será necessário para armazenamento e instalação das soluções no aparelho. Dessa forma, ainda que um volume maior de memória possa parecer desnecessário ao adquirir um aparelho, é importante considerar o uso ao longo do tempo.

Vale a pena pagar por um celular 32GB, 64GB ou 128GB?


De modo prático, podemos dizer que sim. Em geral, os aparelhos com maior capacidade de memória custam mais caro do que os celulares simples, com 4GB, 8GB ou 16GB. A diferença, é claro, pode pesar no bolso, mas em alguns casos é fundamental. Principalmente para quem trabalha com a produção de conteúdo multimídia.

Pois além da memória, os celulares mais avançados oferecem outras configurações na mesma linha. Por exemplo, vídeos em HD e imagens com formato e qualidade maior,demandam mais espaço para armazenamento.

Dessa forma, um celular com maior capacidade de memória irá ampliar as possibilidades para uso do aparelho, evitando inúmeros problemas.

Assim, tal como indicado anteriormente, é fundamental avaliar as necessidades de uso a médio e longo prazo e considerar os aparelhos com maior capacidade de armazenamento.

Comprar um celular com maior capacidade ou expandir a memória quando necessário?

Uma outra dúvida comum relacionada à memória de celular é se vale a pena optar por um celular com menos memória, como 8GB ou 16GB, e depois incluir um cartão de memória. Bom, primeiro devemos lembrar que alguns modelos como da Apple não aceitam cartões de memória. Ou seja, se a memória estiver cheia, será necessário apagar aplicativos, fotos e outros arquivos para liberar espaço.

Depois, é importante considerar que há diferentes tipos de armazenamento para o celular. Um cartão de memória não irá ampliar totalmente a capacidade do aparelho.

Isso porque em alguns aparelhos o cartão de memória irá funcionar como um cartão externo, não permitindo instalar aplicativos, por exemplo. Os celulares mais modernos já possuem a opção para considerar o cartão microchip como cartão interno, permitindo a passagem de aplicativos, músicas e outros arquivos.

Também é necessário considerar que alguns cartões de memória podem ter um preço bastante elevado, conforme a marca e quantidade de espaço, principalmente de 64GB e 128GB.

Sobre isso, vale reforçar que existem micro cartões SD a partir de R$20,00. Contudo, a qualidade desses dispositivos pode ser baixa e gerar perda dos arquivos armazenados no celular.

Nuvem

Por isso, para otimizar e aproveitar melhor a memória de aparelhos com pouca memória, é fundamental buscar serviços na nuvem. Além de fotos e vídeos, usar serviços de streaming para músicas e filmes, irá economizar uma boa parte do armazenamento.

Assim em suma, expandir a memória com cartão SD pode ser uma boa opção a longo prazo. Caso não seja possível adquirir um aparelho com maior capacidade e no futuro haja disponibilidade para investir em um bom cartão de memória.

Outras questões relacionadas ao armazenamento do celular

Ao falar de memória de celular é importante lembrar que independente de ser um celular 32GB, 64GB ou 128GB, parte da memória já vem ocupada por programas e o sistema operacional do aparelho. Por exemplo, um aparelho de 64GB pode ter entre 54GB e 51GB para o armazenamento. Já nos celulares com 32GB, o espaço liberado para armazenamento pode ser de 25GB.

Em outras palavras, quanto menor a quantidade de memória do celular, mais impacto terá o armazenamento disponível para o usuário. Pois há bastante diferença entre 32GB e 25GB quando se trata de espaço para instalar aplicativos.

Memória RAM

Também é importante considerar a memória RAM do celular, que em geral, será menor do que a memória total de armazenamento.

Ela guarda temporariamente dados e informações dos arquivos e documentos processados em tempo real pelo celular, garantindo maior velocidade de carregamento dos dispositivos móveis. Dessa forma, quanto maior a quantidade de memória RAM, mais rápido será o processador do aparelho.

Assim, diferente da memória interna, a memória RAM não irá armazenar os conteúdos permanentemente. Mas ainda assim é essencial para o bom funcionamento do aparelho.

Por isso, ao adquirir um celular é essencial consultar a memória disponível para armazenamento dos celulares, bem como  a capacidade para expansão e a memória RAM.

Gostou do artigo? Então, acompanhe todas as publicações do blog Compara Plano e fique por dentro de todas as novidades e serviços de telefonia, TV por assinatura e novas tecnologia.