Biometria no celular: saiba como funciona

Não é novidade que novas medidas de segurança são cada vez mais incorporadas às novas tecnologias. A biometria no celular é um ótimo exemplo da categoria, e é o mínimo esperado das empresas no quesito. Muito se debate a segurança e a validade de se usar a biometria na área de segurança, e de novas tecnologias em geral, por isso separamos tudo que você precisa saber sobre o assunto na hora de comprar um celular, notebook ou outro aparelho que utilize a biometria como camada de segurança. Confira!

Leia também: Veja aplicativos e dicas para reduzir as despesas diárias

Biometria no celular: Primeiras aparições

A era dos smartphones proporcionou um rápido avanço nas questões de segurança, além de uma constante busca por conforto e melhorias. A possibilidade de se usar a impressão digital de cada indivíduo para medidas de segurança era algo possível apenas em filmes de ficção científica ou de espionagem, mas empresas como Motorola já estavam de olho para implementá-la em suas futuras soluções.

Em meados de 2011 já era possível ter o desbloqueio por meio da digital no Motorola Atrix, mas foi apenas em 2013, com a chegada do iPhone 5s, que a biometria teve seu boom, criando uma nova demanda no mercado. A biometria no celular, à essa época, ainda era uma tecnologia inalcançável, já que as fabricantes que aderiram a ela não possuíam os preços mais atrativos no mercado brasileiro.

O tempo passou, e hoje é possível encontrar a tecnologia aplicada aos mais diversos tipos de smartphones e até mesmo a outras áreas do dia a dia, como em casas inteligentes e computadores.

O que é biometria?

Bem, tecnicamente falando a biometria é nada mais nada menos do que a possibilidade de se desbloquear o celular, e também alguns aplicativos, com o uso da digital do usuário e/ou outras pessoas cadastradas ao dispositivo. Para que a biometria no celular funcione, os dispositivos são integrados com leitores próprios, que cadastram e identificam o usuário. Alguns leitores são tão avançados que podem até mesmo identificar o batimento cardíaco e o fluxo sanguíneo da pessoa.

Mas, a biometria não está presente apenas nos celulares, e já é usada em outras áreas como medida de segurança, como por exemplo em bancos, aeroportos e até mesmo na hora de votar em eleições. Usá-la proporciona uma  alta taxa de segurança, já que é impossível a falsificação da digital de uma pessoa, além da praticidade de eliminar o uso de senhas complexas. Quem nunca esqueceu a senha de letras e números do banco, ou até mesmo errou o padrão do Android muitas vezes e bloqueou o celular? A biometria no celular elimina esses passos e otimiza o tempo das atividades cotidianas.

Como funciona a biometria no celular

Para que a biometria no celular funcione, é necessário que o smartphone em questão possua um leitor de impressões digitais. Também são necessários um bom processador e um software embutido para fazer a análise da informação.

Ao colocar o dedo no leitor, esse é acionado e tem como objetivo obter a imagem mais nítida possível da digital em questão. A imagem, então, deve passar pela análise do software de reconhecimento, que fará a extração das informações mais relevantes para a identificação do usuário.

Por fim, o software faz uma comparação entre as informações arquivadas e a imagem recém-obtida para fazer o desbloqueio do smartphone.

Dúvidas comuns sobre a biometria no celular

A biometria é uma das tecnologias mais seguras que existem no momento. Porém, quando o assunto é segurança sempre surgem questionamentos sobre o seu funcionamento e real grau de segurança.

Pois bem, a biometria no celular, bem como em outras áreas recentes, é uma das mais confiáveis e seguras que existem.

Uma das perguntas mais comuns é se a biometria pode ser roubada por hackers. E a resposta é não.

Ao cadastrar a digital em qualquer smartphone ou dispositivo, essa é rapidamente encriptografada e transformada em um código binário complexo, que age como uma camada extra de segurança. Dessa forma, é impossível que qualquer hacker consiga obter as informações biométricas dos usuários.

Outra pergunta interessante é se a biometria funciona com o dedo decepado. A resposta também é não, já que a maioria dos celulares que usam a biometria como medida de segurança, também faz o reconhecimento do batimento cardíaco e do fluxo sanguíneo do usuário.

Uma das últimas dúvidas recorrentes dos usuários é se o uso da biometria no celular pode causar doenças. Porém, não existe qualquer tipo de dado que comprove essa informação.  

Biometria em outros dispositivos

A biometria já é uma tecnologia usada há muito tempo em bancos e é comum em meios que requerem um alto nível de segurança. Com a chegada da tecnologia nos smartphones, não demorou muito para que outros eletrônicos utilizassem o recurso.

Um dos locais comuns de uso da biometria é nas fechaduras das casas inteligentes, dispensando o uso de chaves e elevando a segurança da casa.

Outro meio que está começando a usar a biometria como medida de segurança são os notebooks. A Lenovo já está integrando leitores biométricos nas suas soluções, e fabricantes como HP e Samsung já estão estudando a medida.

Biometria no celular: 5 aparelhos que usam a tecnologia

Se você está procurando por biometria no celular a um preço justo, separamos algumas opções para você.

Moto G6

Celular intermediário da Motorola, lançado em 2018, o Moto G6 continua sendo um celular atual e confiável. Ele conta com um bom desempenho nas mais diversas funções ao mesmo tempo em que é muito econômico tanto no bolso quanto na bateria. Além disso, sua memória faz toda a diferença, e pode chegar até 256GB.

LG G7 ThinQ

Apesar de ser um top de linha de 2018, o LG G7 ThinQ mantém-se atual e com um preço acessível. Com memória que pode chegar até 2TB, o celular da LG conta com um dos melhores sensores de digital do mercado, perfeito para quem está procurando um celular com essa função.

Samsung Galaxy S9 Plus

Se biometria no celular e estilo são o que você está procurando, o Samsung Galaxy S9 Plus é a escolha certa. Por ter sido lançado em 2018, o preço também é outro atrativo.

Com especificações atemporais, o top de linha da Samsung conta com tela em AMOLED, 6GB de memória RAM e 12MP na sua câmera traseira. Por sua vez, o leitor de digital chega cheio de estilo no modelo, por ser localizado na parte traseira do aparelho.

Xiaomi

É claro que a Xiaomi não poderia ficar de fora dessa lista. A nova queridinha dos consumidores brasileiros investe pesado na tecnologia biométrica, com praticamente todos os aparelhos integrados à função. Por conta disso, não citamos nenhum aparelho em específico, e você pode conferir todas as variedades no site da marca. Mas, se você quiser uma dica, confira o nosso post Xiaomi Redmi Note 5A Prime: saiba se vale a pena que aborda tudo sobre as características do aparelho.

iPhone 11

O lançamento da Apple veio cheio de novidades e animou os fãs da marca. Apesar do preço exorbitante, o aparelho tem um acabamento premium e cheio de classe. Na questão da biometria, a Apple oferece tanto a biometria com a digital tanto quanto a biometria facial, já apresentada em soluções anteriores da marca. É um bom avanço nas questões de segurança e deve influenciar o lançamento de marcas futuras.

Leia mais: Confira planos da Claro, a melhor operadora de internet do Brasil, segundo o Speed Awards Test.

A biometria no celular chegou pra ficar, e só podemos imaginar o que o futuro nos reserva. A promessa agora é a da biometria com a íris dos olhos, e não poderíamos estar mais animados com essa possibilidade! Não deixe de conferir as novidades do mundo da tecnologia aqui mesmo no Blog da Compara Plano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *